Home»Cidade»Algumas árvores cederão espaço para as baias de parada de ônibus

Algumas árvores cederão espaço para as baias de parada de ônibus

Árvores já foram demarcadas no canteiro central da Avenida dos Trabalhadores

0
Shares
Pinterest WhatsApp

Quem passa pela Avenida dos Trabalhadores, a partir da rotatória de acesso ao Jardim Bela Vista, observa várias árvores do canteiro central marcadas com tinta branca. Isto até a extensão da via no Cemitério Santo Antônio, no Jardim Novo. A marcação é um indicativo dos locais que podem receber baias de parada de ônibus. Portanto, parte das quase 90 árvores marcadas será cortada.

O secretário de Obras e Viação, Salvador Franceli, afirma que a equipe está avaliando quantas baias haverá nesta extensão da Trabalhadores e, portanto, a marcação das árvores mostra locais adequados para esta intervenção. Todavia, ele afirma que não significa que todas estas árvores serão cortadas. “Tradicionalmente os corredores de ônibus têm o embarque e desembarque pelo lado esquerdo. Na Alíbio Caveanha será assim, mas não quer dizer que vamos cortar todas as árvores”, comenta.

Sobre a extensão do canteiro central passará pista de caminhada e ciclovia que receberão massa asfáltica (CBUQ), terão guia e sarjeta e também iluminação com lâmpadas de led de 150W. O traçado em alguns trechos está demarcado com estacas. “Pelo projeto, a pista de caminhada e a ciclovia começam na ponte de ferro e se estendem até o Ypê Amarelo”, detalha Salvador.

A obra completa o projeto de mobilidade urbana traçado pela Administração Municipal que abrange também a Avenida Brasil, além das duas mencionadas. As Avenidas Brasil e Trabalhadores estão sob a responsabilidade da Construtora Simoso, enquanto a JSA fará a outra parte da Alíbio Caveanha. O investimento total previsto é de R$ 12,4 milhões, sendo R$ 5,1 milhões para a Avenida Brasil, R$ 3,6 milhões para a Alíbio Caveanha e R$ 3,6 milhões para a Avenida dos Trabalhadores. O prazo de contrato para as obras é de seis meses. As três obras têm contrapartida da Prefeitura e são provenientes de financiamento junto à Caixa Econômica Federal.

Previous post

Artigo: Corredor de ônibus. A conta vem depois

Next post

Coronavírus: novo vírus coloca mundo em alerta