Home»Cidade»Após reclamações, Saama inicia limpeza

Após reclamações, Saama inicia limpeza

Até a dragline voltou a funcionar após ter o cabo de aço trocado; equipamento está no local há um ano

0
Shares
Pinterest WhatsApp

Por Igor Rodrigues 

Quem passa pelo Córrego dos Macacos, na Zona Sul da cidade, pode observar que o mato começou a ser roçado e que a dragline voltou a funcionar após semanas paradas.

Todo início de ano aumentam as reclamações sobre mato alto na cidade e falta de manutenção das áreas verdes e o Córrego dos Macacos está incluído nesta lista. Na semana passada, a Gazeta esteve no local e verificou que o mato estava alto em toda a extensão da área verde, assim como a dragline estava novamente parada.

O aposentado José de Godoy, de 87 anos, sempre é visto perto da mina, onde mantém o local limpo e bem cuidado. Ele confirmou que a dragline estava sem funcionar devido ao rompimento de um dos cabos. A SOV (Secretaria de Obras e Viação) confirmou a informação sobre o rompimento do cabo de aço e informou que a limpeza da lagoa seria retomada em uma semana, o que de fato aconteceu. Apesar que ontem (24), por volta das 15h00, o equipamento estava parado, quando a reportagem passou pelo local.

O secretário da Saama (Secretaria de Agricultura, Abastecimento e Meio Ambiente), Pedro Luís Mendes de Souza, o Pedrinho, comentou com a Gazeta que iniciou o serviço de roçagem no local. A meta, segundo ele, é finalizar o serviço na próxima semana. “Conseguimos o reforço com a contratação de uma empresa, então, estamos atuando em várias frentes. No Córrego dos Macacos estamos com três tratores e três roçadeiras fazendo o acabamento”, comentou.

Segundo ele, a meta é deixar a cidade em dia entre abril e maio. “Estamos trabalhando para que em abril ou maio já virar esse jogo com a cidade em melhores condições”, reforçou.

Lixo

Além do mato em toda a extensão da área, é possível observar vários amontados de entulhos jogados por moradores, agravando os problemas já existentes no Córrego dos Macacos. Com a época de chuvas, o entulho pode acumular água parada gerando problemas de saúde pública, como a dengue e outras doenças transmitidas pelo mosquito Aedes aegypti.

Previous post

Buracos, mato e falta de sinalização geram reclamação

Next post

Leitura: as preferências na Biblioteca Municipal