Home»Artigos»Artigo: Dinho, líder do Capital Inicial: “Não é uma gripezinha”

Artigo: Dinho, líder do Capital Inicial: “Não é uma gripezinha”

0
Shares
Pinterest WhatsApp

Em declaração ao Estadão (29/4), o cantor Dinho contou que estava curado da Covid-19, afirmando: “Não é uma gripezinha”, acrescentando “é uma paulada”. Adiante ele declarou: “Acho que o Bolsonaro é um risco à saúde pública, acho perigoso ele estar no comando do país num momento tão delicado quanto este. Eu já achava que era preocupante ele estar no comando do país antes do coronavírus. Acho que ele é despreparado (sic)”.

O escritor Ignácio de Loyola Brandão, em artigo publicado no Estadão escreveu: “Quando ouvi o presidente exclamar “E daí” diante das mortes provocada pela Covid-19, tive ânsia de vômito. Em seguida, pensei: é um monstro (sic). Um homem sem aquilo que minha mãe chamava de misericórdia”, acrescentando: “Expressão tão sórdida (sic) me provocou sensação de asco”.

O governador do Rio, Wilson Witzel (PSC) voltou a criticar a postura do presidente Jair Bossonaro diante da pandemia do coronavírus. “Não é e daí” não, presidente. Seja responsável. A sua “gripezinha” chegou e, em vez de continuar atacando os governadores, faça o seu trabalho”. Acrescentando: “O presidente nunca deu à pandemia a importância que ela merece. Em vez de ser o líder das ações da saúde e de economia tomou para si o papel de criar crises”, dizendo ainda: “Pare de fazer política e trabalhe (sic)”.

O governador Doria criticou duramente a postura do presidente Jair Bolsonaro no combate à pandemia. “Primeiro o senhor tem que respeitar os brasileiros que o elegeram e os que não o elegeram. Respeitando pessoa, parentes, amigo de pessoas que perderam parentes para o coronavírus, que o senhor classificou como um gripezinha, que não era grave. Que o senhor respeite o luto de pessoas que perderam entes queridos. Veja a realidade do seu país”.

Raí, diretor são-paulino, pede a renúncia de Bolsonaro. Em entrevista ao Globoesporte, ele declarou: “Se perder a governabilidade, torço e espero uma renúncia para evitar o processo de impeachment que sempre é traumático. Porque o foco tem de ser a pandemia.” Raí criticou ainda o modo do presidente cuidar da pandemia: “Um posicionamento atabalhoado”. Disse: “Outro absurdo do Bolsonaro é inventar crises políticas ou de interesse próprios, familiares (sic), no meio de uma pandemia. É inacreditável. Tenho certeza de que muita gente concorda comigo, inclusive alguns apoiadores do Bolsonaro”.

Em minha opinião, já é hora de Bolsonaro começar a governar. Ele foi eleito para isso!

 

Jasson de Oliveira Andrade é jornalista em Mogi Guaçu

 

Previous post

Ambiental inicia operação Corta Fogo

Next post

Prefeitura faz nova distribuição de alimentos da merenda escolar