Home»Caderno Multi»Cabeleireiro aposta no retorno com restrições

Cabeleireiro aposta no retorno com restrições

0
Shares
Pinterest WhatsApp

Quando o governador João Dória não acatou a decisão do presidente Jair Bolsonaro de incluir os salões de beleza na lista dos serviços essenciais e manteve a determinação de fechamento para o setor, o cabeleireiro Carlos Henrique Cardoso, que tem um salão na Rua Chico de Paula, se posicionou contra a decisão do governador por acreditar que os salões são, sim, de importância para a sociedade. “Embora o serviço não seja essencial para o governador, para nós profissionais esse serviço é definitivamente essencial, porque cuida da higiene e do bem-estar das pessoas”, enfatizou o cabeleireiro que também compartilhou que tanto ele quanto os demais profissionais precisam trabalhar para arcar com seus custos. “Nós temos obrigações para cumprir como aluguel, custos de água, luz, telefone, fornecedores e outras contas fixas”, relatou Carlos.

Desde o início da pandemia e da quarentena em todo o Estado, o profissional defende uma reabertura consciente. “Sempre acreditei que a reabertura poderia ser aprovada com protocolos de segurança, como agendamento de horários, ambiente esterilizado após atendimento individual e o uso de máscara e luvas”, compartilhou o cabeleireiro que está mais aliviado com o anúncio da possibilidade de retomar os atendimentos na terceira fase do plano de retomada do Governo Estadual. “Estou com uma expectativa grande de voltar, porém, nós profissionais autônomos deveremos nos adaptar às normas de saúde orientadas pela Secretaria de Saúde do município”, ressaltou.

Cardoso enfatizou que já está trabalhando na preparação de sua nova rotina com atendimento individualizado. “Nós vamos ter que evitar aglomerações, isso significa que não será possível fazer cabelo e mão juntos, por exemplo, e a distância de 1,5 a 2 metros terá que ser respeitada no salão”. Por isso, um trabalho de conscientização também será feito com os clientes que devem estar cientes de que ele não deverá ir acompanhado ao salão.

Além disso, Carlos informou que vai adquirir máscaras para proteger seus clientes, irá reforçar e inserir álcool em gel no ambiente e redobrar a limpeza e esterilização de todos os materiais. “Trabalhar é importante, mas também temos que ser responsável e evitar a propagação do coronavírus, incentivando a boa saúde”, frisou o cabeleireiro que acredita que, a partir de agora, os clientes vão estar mais criteriosos com os salões. “Vamos trabalhar para nossos profissionais estarem com a higiene pessoal e das roupas em dia, manter as unhas curtas e limpas e evitar o uso de anéis, pulseiras e relógios que dificultam a higiene”.

Previous post

Quarentena: flexibilização começa a partir do dia 8

Next post

Dona de estúdio fitness espera motivar e cativar alunos