Home»Cidade»Cadastro Cultural: Mogi Guaçu receberá mais de R$ 1 milhão

Cadastro Cultural: Mogi Guaçu receberá mais de R$ 1 milhão

Artistas da cidade poderão realizar o cadastro, que será analisado antes da liberação do auxílio

0
Shares
Pinterest WhatsApp

A Secretaria Municipal de Cultura de Mogi Guaçu publicou formulário referente à “Lei Aldir Blanc”, que fará o mapeamento de pessoas ligadas ao setor cultural e que poderão receber o auxílio financeiro. A lei é um socorro para aqueles que tiveram seus estabelecimentos culturais ou atividades cessadas por conta das regras de isolamento social.

No formulário, o solicitante do auxílio deverá preencher informações pessoais e de renda, disponibilizando digitalmente documentos para comprovar os dados fornecidos. Este estará disponível no link forms.gle/d4ScBp2GeQYV6aSj8 para registro individual e através do link: forms.gle/73KwpNFPveBrcNEn6 para registro de espaços culturais, por 30 dias, prorrogáveis por mais 30. O formulário fará um mapeamento e não o cadastramento no programa do Governo Federal.

O Conselho Municipal de Cultura, formado por integrantes da Secretaria, OSC’s (Organização da Sociedade Civil) e por civis será responsável por verificar a veracidade do que foi informado ao sistema. Além disso, o recurso destinado a Mogi Guaçu, R$ 1.060.937,39, será depositado em um fundo delegado pelo conselho.

O trabalhador que deseja receber o auxílio deve ter tido rendimentos de até R$ 28.559,70 no ano de 2018, não pode ter emprego formal ativo ou ser titular do benefício previdenciário. O mesmo vale para quem recebe seguro-desemprego ou o auxílio emergencial pago a trabalhadores informais.

O benefício também poderá ser repassado para a manutenção de espaços artísticos e micro e pequenas empresas culturais que tiveram as suas atividades suspendidas por conta da quarentena. O auxílio previsto pela Lei Aldir Blanc varia de R$ 3 mil a R$ 10 mil para espaços culturais e para trabalhadores informais no setor cultural, será feita complementação mensal de renda de R$ 600, em três parcelas. Mulheres que são as únicas provedoras de sua família têm direito a receber R$ 1.200.

Previous post

Máscara: Mogi Guaçu ainda não tem plano para aplicar multas

Next post

Ex-diretor terá que devolver salários recebidos