Home»Destaque na Home»Chefe de Cartório aguarda definição para iniciar processo

Chefe de Cartório aguarda definição para iniciar processo

Hugo Ornelas é favorável a data aprovada pelo Senado e aguarda definição da Câmara

0
Shares
Pinterest WhatsApp

Os Cartórios Eleitorais de todo o país aguardam com ansiedade a definição da data das eleições municipais desse ano. Todo um procedimento é feito desde já, a fim de que o pleito ocorra de maneira segura nos municípios, desde a verificação das urnas até a convocação de mesários.

Porém, a pandemia também mudou a rotina dos servidores da Justiça Eleitoral, que aguardam uma definição sobre a data para poderem acelerar os procedimentos necessários para a realização do pleito municipal. O chefe do Cartório Eleitoral de Mogi Guaçu, Hugo Ornelas, tem acompanhado toda a discussão em torno do adiamento das eleições municipais e está na torcida para que a definição ocorra o quanto antes. “Estamos em home office, mas temos que abrir algumas exceções por conta das eleições. Temos a fase das urnas nesse momento. Então, estamos trabalhando internamente”.

De acordo com Ornelas, a mudança ou não da data tem gerado muitas dúvidas entre os representantes dos partidos e também entre os pré-candidatos. Por isso, a orientação é para que o calendário atual seja seguido. “Como definir os prazos se a gente não tem a data da eleição certa. Estamos na corda bamba ainda. A gente orienta é que as pessoas sigam o calendário atual até como forma de se precaverem, caso haja alguma impugnação no futuro”.

Hugo

Assim que a data for definida pelo Congresso Nacional, o chefe do Cartório dará prosseguimento aos trabalhos internos, inclusive com a convocação dos mesários, que precisou ser adiada. “A partir dela, você começa a tomar as providências necessárias para a consecução das eleições. Até a convocação dos mesários nós tivemos que adiar. Vamos convocar os mesários para que dia? É de suma importância que a Câmara aprove isso e defina a data”, ressaltou ao comentar que é favorável a data aprovada pelo Senado. “15 de novembro é, sim, um prazo legal para o primeiro turno. O trabalho é extenuante, mas já estamos acostumados”.

O chefe do Cartório Eleitoral também aguarda orientações do Tribunal Regional Eleitoral do Estado de São Paulo (TRE-SP), a fim de que sejam definidas as novas regras para o dia do pleito por conta da pandemia. Ele espera as orientações para o trabalho realizado pelos servidores do Cartório Eleitoral e também para o dia da eleição. “Como eu vou manter as pessoas distantes umas das outras se nós temos uma carga de trabalho desesperadora pela frente. De agosto a dezembro todo mundo trabalha de segunda a segunda. É um complicador a mais para nós na eleição. “E no dia da eleição? Como vamos operacionalizar isso. Álcool em gel em cada sessão eleitoral, medidor de temperatura? Teremos que fazer licitação antes. Enfim, são dificuldades que a gente tem. Passar segurança para o mesário com os equipamentos de segurança”, ressaltou.

Para Hugo Ornelas, o pleito de 2020 será desafiador. “Essa realmente é uma eleição extremamente desafiadora. Mas temos uma equipe bem treinada e comprometida e a gente tem certeza que, qualquer que seja a data definida pelo Congresso, ela vai ser cumprida por nós”.

Previous post

Deputados irão decidir sobre mudança das eleições

Next post

Editorial: Realidade dura e cara