Home»Destaque na Home»Civil investiga estupro e sequestro de vendedora

Civil investiga estupro e sequestro de vendedora

Vítima diz que estava em Artur Nogueira, quando foi agarrada e colocada à força no carro pelo acusado

0
Shares
Pinterest WhatsApp

Uma vendedora, de 19 anos, viveu momentos de horror na madrugada do último domingo de Carnaval (23). Isso porque, ela acabou sendo sequestrada e estuprada por um homem que conheceu em uma festa na cidade de Artur Nogueira. No Boletim de Ocorrência registrado na CPJ (Central de Polícia Judiciária), os policiais militares relatam que por volta das 07h00, a vítima compareceu na 1ª Cia para contar que havia sido estuprada durante a madrugada por um homem, de 19 anos, que mora no Jardim Novo Itacolomy, onde o estupro aconteceu na casa dele.

Segundo os PMs, a vendedora explicou que estava em Artur Nogueira com o namorado e uma amiga curtindo o Carnaval. No entanto, ela teve um desentendimento com o namorado e, por essa razão, se envolveu com o acusado que a agarrou e a colocou à força em seu carro. O estuprador voltou para Mogi Guaçu e em sua casa ameaçou a jovem com uma arma de fogo. Com isso, ela foi obrigada a manter relação sexual com ele sem o uso de preservativo e contra a sua vontade. O namorado da vítima chegou a contar à PM que ele ligou no celular da jovem e que a ligação foi atendida pelo criminoso, sendo que foi possível ouvir a vítima chorando ao fundo. As 04h00, a vendedora atendeu o celular e disse que tinha sido abandonada na Avenida Mogi Mirim, nas proximidades de uma transportadora. Depois que soube de todo o ocorrido, o namorado da vítima foi até a casa do acusado, mas saiu de lá após ser ameaçado com uma arma de fogo. Em seguida, eles procuraram a polícia.

 

Investigações

O delegado seccional José Antônio Carlos de Souza informou que algumas medidas foram tomadas de imediato no caso, como a arrecadação de documento médico de pronto atendimento da vítima e a expedição de requisição para exame de corpo de delito. Com isso, exames foram realizados e, agora, a polícia aguarda a vinda do laudo que apontará ou não uma suposta violência de estupro. Souza informou que a DDM (Delegacia de Defesa da Mulher) instaurou um inquérito policial para investigar a ocorrência, sendo que todos os envolvidos serão ouvidos com o objetivo de esclarecer o ocorrido. Com isso, o delegado ressaltou que maiores detalhes serão conhecidos com o decorrer das investigações que se iniciaram.

Previous post

Linha de ônibus para Martinho Prado utiliza a SP -191

Next post

Artigo: Estadão comenta Governo