Home»Cidade»Covid-19: município tem 34 leitos, 22 são ocupados

Covid-19: município tem 34 leitos, 22 são ocupados

HM tinha 20 leitos de UTI, mas três aparelhos quebraram, um não teve conserto e dois estão em manutenção

0
Shares
Pinterest WhatsApp

Desde o início da pandemia da Covid-19, a secretária municipal de Saúde, Clara Alice Franco de Almeida Carvalho, comenta sobre o medo de faltar leito para atendimento, especialmente para aqueles que precisem de UTI (Unidade de Terapia Intensiva). O município segue tendo vagas tanto nas UTIs, quanto nas enfermarias, mas os casos não param de subir, sendo muitos deles considerados graves, o que desencadeia a necessidade de UTI. Nesta sexta-feira (10), dos 34 leitos de UTI disponíveis no município, 22 estavam ocupados.

Clara explica que destes 34 leitos de UTI, 27 são do SUS (Sistema Único de Saúde), sendo 17 no Hospital Municipal “Dr. Tabajara Ramos” e 10 na Santa Casa. Os outros sete leitos, todos privados, são do Hospital São Francisco. “Tínhamos 20 no HM, mas três aparelhos quebraram. Um não terá conserto e dois estão na manutenção, mas ainda não sabemos se haverá conserto ou não. Estamos aguardando retorno”, disse. O município dispõe de recurso para locação, mas esbarra na dificuldade de encontrar equipamentos disponíveis. Tentativas de solicitação também estão sendo feitas junto ao Governo do Estado.

Dos 22 leitos de UTI ocupados (até ontem), 20 eram de moradores de Mogi Guaçu e dois de outros municípios, sendo que ambos ocupam leitos do SUS. “Dos 22 leitos ocupados, 11 são do HM”, frisa Clara. Ontem (10), o total de internados, entre enfermaria e UTI, chegou a 59. Dos 37 leitos ocupados em enfermaria, 12 eram do hospital privado. “25 entre Santa Casa e Municipal”, atenta a secretária. Ela esclareceu que os leitos de UTI Covid-19 da Santa Casa tem sido ocupados com os casos de derrame e enfarto, doenças que necessitam de investigação porque podem ter ligação com o novo coronavírus.

Esta semana, o município não recebeu pedido para abrigar pacientes de outras cidades, como já havia acontecido. É provável que não haja mais solicitações por conta de São Paulo começar a receber os casos de Campinas e daquela região. Por aqui, caso haja ocupação total de leitos do SUS, restará ao município recorrer às cidades da região que estão com menos casos graves, são elas: Itapira, São João da Boa Vista, Mococa e Casa Branca.

 

REGIÃO

Clara analisa que Mogi Guaçu está na fase laranja do Plano São Paulo por conta da diluição dos casos do novo coronavírus nas cidades menores. Ou seja, são poucos os casos nos demais municípios que compõem a DIR XX (Direção Regional de Saúde) com sede em São João da Boa Vista. “Estamos cercados por regiões que estão na fase vermelha, que são Piracicaba, Campinas e Ribeirão Preto”, cita.

Para a secretária, quem não acredita na doença ou mesmo aqueles que não usam máscara e adotam as medidas necessárias à prevenção, estão saindo no corredor de um abatedouro. “Ouvi esta frase, esta semana, e é bem isso mesmo”, destaca.

Previous post

Artigo: Samae não observa Resolução e causa transtornos à população

Next post

Projeto deve ser analisado após CEI ser finalizada