Home»Caderno Multi»Covid-19: os cuidados dos hospitais e com idosos

Covid-19: os cuidados dos hospitais e com idosos

0
Shares
Pinterest WhatsApp

Por Cláudia Marquezi e Roberta Lopes 

O novo coronavírus (Covid-19) é notícia mundial desde que a OMS (Organização Mundial de Saúde) decretou a pandemia. Em alerta sobre a situação, a Santa Casa de Misericórdia e o Hospital Municipal “Dr. Tabajara Ramos” adotaram algumas medidas que visam reduzir o fluxo de pessoas e, desta forma, proteger aos usuários e aos próprios colaboradores.

Outra preocupação é em relação aos idosos, população incluída no grupo de risco do novo coronavírus. Afinal, as famílias precisam saber como lidar com eles neste momento. Em entrevista à Gazeta, o geriatra Rafael Rondineli Ceregatti reforçou as orientações que devem ser adotadas neste momento.

SANTA CASA

Uso de máscaras e redução de visitas são algumas das medidas adotadas

A Santa Casa de Misericórdia de Mogi Guaçu está adotando o uso de máscaras para os funcionários dos setores que fazem atendimento ao público, como laboratório de análises clínicas e recepção, e reduziu o horário e o fluxo de visitas. “As medidas visam proteger não apenas os colaboradores, como a população em geral que faz uso dos serviços do hospital”, pontua o diretor administrativo Aldomir Arenghe.

As determinações adotadas pela Santa Casa seguem as orientações da infectologista da unidade e das diretorias técnica e clínica. “Provavelmente, na próxima semana, haja outras orientações porque também temos que seguir as determinações que vierem a surgir por parte dos decretos, seja do Município ou dos Governos Estadual ou Federal”, pontua Arenghe.

Quanto ao número de leitos, o diretor administrativo lembrou que independentemente do novo coronavírus, a Santa Casa sempre atende em seu limite. No caso da UTI (Unidade de Terapia Intensiva), por exemplo, não havia leitos vagos na última quarta-feira (18), quando foi concedida a entrevista. Por isso, Arenghe acredita que haja novas medidas por parte das autoridades.

Vale lembrar que a Santa Casa é referência no atendimento para toda a DRS (Diretoria Regional de Saúde). A Gazeta apurou que o município disponibiliza de 24 leitos de UTI, contando com a rede pública e privada. Por isso, a Secretaria de Saúde já estuda medidas que possam ser adotadas, caso sejam necessários mais leitos por conta do Covid-19.

 

MEDIDAS

– Autorizada apenas uma única troca de acompanhante por dia

– Unidade de Internações (enfermarias) apenas uma visita por dia e apenas um acompanhante para menores de 18 anos e maiores de 60 anos

– Horário de visitas: das 14 às 15 horas e das 18 horas às 19 horas

– UTI e UCI uma única visita por horário: das 14h30 às 15 horas e das 19h30 às 20 horas

– Unidade pediátrica uma única visita e um acompanhante, conforme rotina das enfermarias

– Unidade de Terapia Neonatal e UNCico autorizada a presença somente da mãe e do pai

– Está suspensa as visitas de irmãos, avôs e avós.

SAÚDE MUNICIPAL

Secretaria segue determinações da OMS sobre uso de EPIs

A Secretaria Municipal de Saúde segue às orientações da OMS (Organização Mundial de Saúde) no tocante ao uso de EPIs (Equipamentos de Proteção Individual). A medida vale para todos os setores da Pasta, incluindo o Hospital Municipal “Dr. Tabajara Ramos” que também já anunciou medidas referentes às visitas.

As orientações sobre o uso de máscaras nos ambientes de saúde são para que os indivíduos com sintomas respiratórios utilizem máscara enquanto estão na triagem ou áreas de espera ou durante deslocamento no ambiente.

De acordo com as recomendações, a máscara não deve ser utilizada quando isolado ou em salas “individuais”, sendo recomendado cobrir boca e nariz quando tossir ou espirrar com papeis descartáveis. E dispensar adequadamente e realizar higiene imediatamente.

Para os trabalhadores da área de saúde a recomendação é usar máscara quando entra em sala com suspeito ou confirmado de estar infectado com o Covid-19. “Utilizar um “respirador de partículas” protetivo ou pelo menos como o N95 (US) ou FFP2 (EU) ou equivalente quando desempenhando procedimento com geradores de aerossóis como intubação traqueal, ventilação não invasiva, traqueostomia, ressuscitação cardiopulmonar, ventilação prévia a intubação e broncoscopia”, traz as orientações.

 

VISITAS

Em relação às visitas, desde sexta-feira (20), o HM definiu novo horário de visitas, inclusive proibindo as visitas na UTI, conforme o divulgado pela Secretaria de Comunicação Social.

Na Clínica Médica e Oncologia haverá autorização para a entrada de uma única pessoa por dia, das 19h30 às 20h00, sendo que é necessário ser maior de 18 anos. Visitas de pessoas com mais de 60 anos estão proibidas.

Na UTI, a visita está proibida, sendo que o atendimento à família pelo médico plantonista será das 19h30 às 20h00.

Sobre os acompanhantes, será permitido o acesso de apenas um único acompanhante por dia, maior de 18 anos e menor de 60 anos, com troca de horário entre 7 horas e 19horas.

 

GRUPO DE RISCO

Idosos precisam redobrar cuidados

As chances de complicações e óbito causados pelo novo coronavírus são maiores entre os idosos. Por essa razão, pessoas a partir de 60 anos foram inseridas pela Organização Mundial da Saúde (OMS) como sendo grupo de risco junto com os asmáticos, pessoas com doenças do coração, fumantes, diabéticos, hipertensos e portadores de outras enfermidades crônicas e graves que comprometem a imunidade. Por isso, é necessário aumentar a cautela e adotar as medidas de higiene e de isolamento social.

Conforme o corpo envelhece ou adoece, a imunidade fica menos apta a agir caso o coronavírus entre no organismo por meio das vias aéreas superiores como a boca e o nariz. O agente infeccioso invade o organismo e por falta de defesas consegue se multiplicar até chegar aos pulmões, causando graves complicações. O médico geriatra Rafael Rondineli Ceregatti, confirmou à Gazeta que os idosos realmente devem redobrar a atenção com relação ao novo coronavírus. “Trata-se de um vírus respiratório que se propaga muito rápido. Portanto é preciso tomar cuidado, sim, principalmente os idosos que são uma população muito vulnerável a ter a forma mais grave da doença”.

De acordo com Ceregatti, pessoas acima de 60 anos que apresentem condições como diabetes, doenças reumáticas, câncer ou outra doença mais grave ou pessoas que fazem o uso de medicações que diminuem a imunidade devem priorizar o isolamento social. Tanto que a Sociedade Brasileira de Geriatria recomenda que esse público evite aglomerações e lugares fechados. “Os idosos também não devem ter contato íntimo com outras pessoas que frequentam locais públicos como igrejas, reuniões, salas de espera de consultórios e hospitais, por exemplo,”. Todas as recomendações também são para os idosos que tem mais de 80 anos, mas estão com a saúde em dia. Ainda de acordo com o médico, a Sociedade Brasileira de Geriatria também recomenda que os idosos passem por consulta médica, preferencialmente em suas casas. “Por conta disso, eu mesmo estou indo visitar meus pacientes, atendendo eles em casa ao mesmo custo da consulta de consultório para obedecer a essa recomendação”.

Sobre os sintomas, o geriatra esclareceu que tosse, febre e dor de garganta são os sintomas que caracterizam a forma leve do coronavírus. “Neste caso, é preciso ficar em repouso, longe de contatos, se hidratar bem e usar apenas remédios para febre e dor no corpo, lembrando que é bom evitar o Ibuprofeno”. Já os sintomas graves são falta de ar, cansaço em atividades habituais como andar dentro de casa, confusão mental e alteração no sono. “Procure ajuda médica porque o idoso pode estar desenvolvendo uma forma mais grave da doença”, pontuou Ceregatti.

Ainda com relação a evitar contato físico, o médico ressaltou que não é bom deixar as crianças com os idosos. “As crianças tendem a não ter sintomas e, por isso, devem evitar estar com pessoas acima de 60 anos”. A cautela também vale para o contato que os idosos têm com seus cuidadores. “Esses profissionais têm um contato íntimo com seus idosos e devem evitar isso se estiverem resfriados ou gripados. O geriatra finalizou frisando que só tem necessidade de usar máscaras quem estiver doente. “Eu ressalto que pacientes com sintomas leves devem permanecer em casa e evitar ir a lugares de grandes aglomerações. Entre em contato com seu médico e preferencialmente tente ser atendido em casa”.

 

Previous post

Artigo: A possibilidade de afastamento de empregados

Next post

ExpoGuaçu não terá edição em 2020