Home»Caderno Multi»Curiosidade levou publicitária a abolir a prática do alisamento

Curiosidade levou publicitária a abolir a prática do alisamento

0
Shares
Pinterest WhatsApp

A publicitária Natália Marcondes de Oliveira, 24, nem lembrava mais como eram os cabelos naturais. Os cachos fazem parte apenas das fotos da infância porque a opção pelo alisamento começou ainda na adolescência, aos 15 anos. “Comecei a questionar sobre como seria o cabelo natural. Será que é bonito? Será que ainda é cacheado como era antes?”, conta sobre o que a levou à transição capilar.

Foi em maio do ano passado que Natália decidiu parar com a escova progressiva. Mas demorou a conseguir parar de usar a chapinha. A medida, segundo ela, não é recomendada no período de transição capilar, mas ela ainda alisava os fios quando ia sair de casa. Isso até que chegou a pandemia. Apesar de todo o transtorno deste período, a publicitária aproveitou do limão para fazer uma limonada. “Ficando em casa, eu me sentia mais confortável em deixar meu cabelo secar naturalmente, o que ajudou também na parte de tratamento porque a chapinha danifica o cabelo”, justifica.

Esta fase em home-office ajudou Natália a descobrir mais sobre o cabelo e a conhecer mais sobre a transição capilar. Em maio, ela completou um ano sem progressiva e viu os cabelos começarem a tomar forma, ou seja, a encaracolar. Foi esta a fase que a deixou mais preocupada e foi também quando surgiram dúvidas se havia tomada a decisão certa. “Eu meio que surtei! Meu Deus, eu não sei arrumar o meu cabelo! Como será que faço? Será que não é mais fácil voltar a alisar? E será que quando acabar a pandemia vou querer sair com o meu cabelo enrolado?”, relata sobre suas dúvidas.

Mas, o tempo passou e, neste período, a publicitária foi aprendendo a cuidar dos fios e, aliás, diz que ainda está nesta fase. Já não faz mais uso da chapinha e capricha no zelo com os fios. Aliás, diz que hidratação é algo do qual nunca abriu mão. Para quem está pensando em encarar a transição capilar, Natália recomenda que não tenha pressa, pois começou a perceber as primeiras mudanças oito meses depois de parar com a progressiva. “Foi quando cortei bastante, mas o cabelo começou a crescer e a ganhar forma após um ano e dois meses sem alisamento”, acrescenta comentando que leva dois anos para o cabelo ficar natural.

 

CABELOS LONGOS

A meta da publicitária é deixar os fios crescerem para que os cachos tomem mais forma. E diz que sugere ainda que as pessoas levem a transição com paciência e se divertindo com as etapas, sem colocar um peso desnecessário ao processo, que é lento. “Eu fui aproveitando cada fase”, recorda.

Bem-humorada, muitas destas etapas a publicitária compartilhava pelo Instagram. Assim como fez quando tingiu os fios de vermelho, voltou a ser loira… Ah! E, em meio a transição capilar, resolveu tingir os fios de rosa. Ou seja, os cabelos podem seguir cacheados e, por enquanto, com a cor que Natália escolher. Bem, mas isto é tema para outra reportagem.

Previous post

Editorial: Questionamentos necessários

Next post

PPA: Saúde garante médicos para o final de semana