Home»Editorial»Editorial: Ainda a UPA

Editorial: Ainda a UPA

0
Shares
Pinterest WhatsApp

No dicionário a palavra afirmação é descrita como sendo ato ou efeito de afirmar, de dizer sim; asserção; o que se afirma ou se sustenta como verdade; afirmativa, asseveração. E é numa dessas afirmações da vida que a Administração Municipal se vê envolvida em uma nova enxurrada de críticas. Isso porque, a Prefeitura divulgou um vídeo falando sobre a UPA (Unidade de Pronto Atendimento) no Jardim Santa Marta. Nele é afirmado que a UPA do Jardim Santa Marta já está funcionando como hospital de campanha para pacientes com coronavírus.

A grande maioria sabe que Mogi Guaçu enfrenta uma situação crítica com relação aos casos de Covid-19. São mais de 1.200 casos positivados e 31 óbitos registrados até esta sexta-feira (17). Mesmo assim, o hospital de campanha não se fez necessário, pois o Hospital Municipal tem suportado o atendimento aos pacientes com coronavírus. Justamente por isso, o hospital de campanha, nesse caso a UPA, não está sendo usada. Ou seja, não existe nenhum tipo de atendimento na unidade até o momento.

Esse cenário fez com que o vídeo chamasse a atenção pela frase “A UPA do Jardim Santa Marta já está sendo usada como hospital de campanha”, pois não está. A Prefeitura poderia ter dito que a unidade está preparada para ser usada como hospital de campanha, caso o município precise desse suporte (e tomara que não). Mas, na tentativa de reverter a impressão negativa com relação à UPA, optou-se por fazer uma afirmação que não é verdadeira neste momento.

Vereadores da oposição visitaram a unidade e confirmaram que o prédio do Jardim Santa Marta continua parado, agora, com macas, cadeiras e armários vazios, o que evidencia que a Prefeitura fez uma ‘maquiagem’ no local para gravar o vídeo ao afirmar que a unidade funciona. Nem mesmo a justificativa da Administração Municipal de que os insumos e outros equipamentos só serão levados para lá quando precisar não convenceu os vereadores. Na avaliação deles, a Prefeitura cometeu um equívoco ao divulgar o vídeo da UPA e classificaram o episódio como sendo fake news.

Outros municípios também fizeram a apresentação dos hospitais de campanha, como São Paulo, e o cenário, as fotos e os vídeos divulgados foram bem diferentes do mostrado pela Prefeitura guaçuana. Os leitos estavam melhores preparados, inclusive com equipes de prontidão. A torcida é para que Mogi Guaçu não precise de um hospital de campanha e isso leva as autoridades do município a planejarem o retorno da unidade ao Jardim Santa Marta, como prometido. São seis anos e meio de unidade fechada, meses sem o recurso enviado pelo Governo Federal e ainda sem previsão de funcionamento. Não se pode, agora, atribuir os problemas enfrentados à pandemia do novo coronavírus. A previsão é de que os números se estabilizem, como ocorreu na Capital, e, assim, o hospital de campanha deverá ser totalmente descartado.

Uma chance para a Prefeitura de Mogi Guaçu reverter a situação e devolver para aquela região a UPA do Jardim Santa Marta. Além de promessa, é uma obrigação.

Previous post

Oposição rebate vídeo da Prefeitura sobre UPA

Next post

Tome Nota da edição de sábado, dia 18