Home»Destaque na Home»GCM e PM interrompem festas em chácaras

GCM e PM interrompem festas em chácaras

Duas ações foram realizadas, a fim de evitar a realização de festas em Mogi Guaçu no período da quarentena

0
Shares
Pinterest WhatsApp

A não realização de aglomerações é uma das determinações do decreto estadual que prevê medidas contra o novo coronavírus. O que significa que eventos e festas estão proibidos de serem realizados durante a pandemia. No entanto, muitos jovens seguem ignorando as orientações e marcando festas pela internet. Na noite do último dia 1º, tanto a Guarda Civil Municipal quanto a Polícia Militar receberam denúncias de festas que eram realizadas em chácaras da cidade.

Em Martinho Prado Júnior, a GCM foi avisada de que jovens estavam reunidos em uma chácara na Rua Lazara Teodoro de Freitas. Era por volta das 22h30, quando os GCMs Pereira e Diniz junto com as viaturas da Romu (Ronda Ostensiva Municipal) e da Ambiental foram ao local e orientaram os jovens quanto ao risco de contaminação da Covid-19. A festa foi encerrada e os frequentadores deixaram o local.

Quase no mesmo horário, a PM foi informada sobre um possível baile funk com 200 pessoas em uma chácara na Rua Josefina Marcolino Machado, no Jardim Imperial. No local, os policiais sargento Fernando Antoniete, cabo Andreia e cabo Fonseca conversaram com um jovem de 20 anos e uma adolescente de 17 anos. Os dois se apresentaram como sendo os responsáveis pela festa. Durante a conversa, os PMs viram que objetos foram lançados pelo muro no terreno baldio que fica ao lado da chácara. Ao averiguarem o local, os policiais encontraram um simulacro de pistola calibre 45 e uma arma de fogo calibre 22.

Os donos das armas não foram identificados e os responsáveis pela festa, que foi encerrada, foram encaminhados ao plantão policial para prestarem esclarecimentos. Nos dois casos, Boletins de Ocorrência por descumprimento ao decreto estadual foram registrados. O comandante da GCM e secretário de Segurança, Claudemir Adorno da Costa, ressaltou que a Guarda Civil irá verificar todas as denúncias de festas feita no 153. “É preciso evitar aglomerações, conforme determina o decreto estadual”, finalizou Adorno.

Previous post

Quarentena: flexibilização era esperada para o interior

Next post

Entidades são beneficiadas por ação do Sesi