Home»Cidade»Inquilinos tentam negociar aluguéis em meio à crise

Inquilinos tentam negociar aluguéis em meio à crise

Fernanda Vendramini confirmou que a procura por negociação está alta e que os casos são analisados

0
Shares
Pinterest WhatsApp

As negociações dos aluguéis têm sido a principal demanda do setor imobiliário desde que o novo coronavírus chegou ao Brasil. Muitos inquilinos estão solicitando redução, parcelamento e até mesmo isenção de seus aluguéis. Isso porque, a atual crise gerada pela pandemia fez muitas pessoas perderem seus empregos ou terem seus salários reduzidos, comprometendo a renda mensal.

Para os comerciantes de serviços considerados não essenciais, como salões de beleza e lojas de roupas e cosméticos, por exemplo, o cenário é ainda pior, já eles têm que cumprir os decretos estadual e municipal que determinam o fechamento de seus estabelecimentos.

A sócia-proprietária da Imobiliária Artigiani, Fernanda Vendramini, confirmou que o foco atual do setor tem sido as locações ativas. “Muitos inquilinos estão entrando em contato para renegociar os valores de aluguéis”. Segundo Fernanda, as propostas são diversas, sendo que alguns inquilinos solicitam a isenção total de pagamento, outros pedem para pagar uma porcentagem que varia de 20 a 70% agora e a isenção ou parcelamento do restante para quando a pandemia passar. “Cada caso é um caso. Estamos tendo uma demanda forte e a gente tem que negociar com cada locador porque para muitos o valor do aluguel também é a única ou a principal fonte de renda e para eles ficarem sem esses alugueis também é complicado”, observou.

Por essa razão, a sócia-proprietária da Artigiani explicou que neste período de isolamento social montou uma força tarefa para atender as negociações. “Nós temos seis funcionários voltados apenas para isso. Eu tirei funcionários de outros setores para poder atender essa demanda que estamos tendo agora, sendo que as últimas duas semanas foram as que mais exigiram de nós”.

Fernanda informou que a maioria dos donos de imóveis está aceitando negociar por entender o momento difícil em que o país atravessa. “A maioria aceita receber 50% agora e parcelar os outros 50% do valor para quando a vida voltar ao normal”. E mesmo que sejam poucos, ainda têm os proprietários que estão fazendo a isenção do valor de seus aluguéis. “Tudo vai de ligar ao locador, apresentar a necessidade do inquilino para ele analisar”, completou Fernanda que ainda disse que, infelizmente, o período também exige muita atenção, já que maus pagadores estão aproveitando o atual cenário para se beneficiarem. “É uma pena, mas já sabemos quem são essas pessoas e no caso delas não tem como aceitar ou entender a justificativa”.

 

Rotina

Não foi apenas o foco de trabalho que mudou nas imobiliárias, mas também a rotina, principalmente por conta dos decretos que determinam o fechamento de estabelecimentos. Na Artigiani, Fernanda informou que todos os corretores de locação e de vendas foram colocados para trabalhar no sistema home office. “A gente fez uma mudança em nosso sistema comercial e também nos e-mails deles para eles terem acesso da casa deles”. Com isso, o cliente que entra no site da imobiliária será atendido por um corretor.

Previous post

GCM reforça as orientações junto à população

Next post

Itapira registra terceira morte por Covid-19