Home»Cidade»Máscaras: utilização é a nova orientação da Saúde

Máscaras: utilização é a nova orientação da Saúde

Coordenadora médica da atenção básica, Sandra Fernandes Maciel, orienta a forma correta de usar as máscaras de pano

0
Shares
Pinterest WhatsApp

Na última semana, o Ministério da Saúde mudou a orientação que passava aos brasileiros com relação ao uso de máscaras no combate ao novo coronavírus.  Até então, a indicação do material de proteção era destinada apenas para pessoas com sintomas e com casos confirmados da Covid-19, além dos profissionais da saúde. No entanto, no último dia 1º, o ministro da pasta Luiz Henrique Mandetta disse que qualquer pessoa pode fazer e usar máscaras de pano como barreira contra o novo coronavírus.

Utilizar as máscaras caseiras se tornou uma opção a mais para os brasileiros que devem deixar as máscaras cirúrgicas e N95, que estão em falta no país, disponíveis para os profissionais que estão na linha de frente em hospitais. A mudança na orientação teve uma ressalva; não existem estudos científicos que comprovem a eficácia das máscaras caseiras.

Um vídeo feito na República Tcheca que dizia que o uso das máscaras de pano estava ajudando a frear o contágio da doença no país teria sido a principal inspiração para o Governo Federal mudar a orientação. A partir disto, passaram a surgir as dúvidas acerca da utilização correta das máscaras. Por isso, a Gazeta esclareceu diversos pontos da nova orientação com a coordenadora médica da atenção básica do município Sandra Fernandes Maciel.

Ela ressaltou que o objetivo de usar as máscaras de pano é diminuir a chance de que alguém que porte o vírus seja assintomático (portador sem sintomas) ou não propague o vírus ao tossir, espirrar e até mesmo falar. “As gotículas leves que soltamos ficam suspensas no ar e tem mais chance de atingir o próximo, enquanto que as gotículas pesadas caem no chão”, explicou Sandra. A coordenadora completou o esclarecimento dizendo que a máscara caseira, que pode ser de algodão ou TNT, protege o entorno do indivíduo e não o indivíduo em si. “Este tipo de material não tem camada com filtros como as máscaras cirúrgicas. Por isso, é importante deixar claro que ela irá proteger a comunidade, irá diminuir a chance de propagação do vírus, já que é uma barreira mecânica, mas não efetiva”.

É por essa razão, que a população deve ficar atenta, já que a máscara caseira dá uma falsa ideia de proteção pessoal. Para Sandra, a nova orientação deve ser somada as demais medidas de prevenção. “O isolamento social é uma medida que tende a diminuir a curva de infecção do vírus, possibilitando uma menor chance de pessoas serem infectadas e evoluírem para um quadro grave da doença”, pontuou a coordenadora que ainda ressaltou que o isolamento das pessoas com mais de 60 anos e com comorbidades é importante, assim como o dos jovens que também podem ser infectados.

DICAS

Onde e como usar

Mas afinal, como os brasileiros devem utilizar o novo material de proteção? Segundo a coordenadora médica da atenção básica do município Sandra Fernandes Maciel, o indicado é sempre utilizar a máscara quando for essencial sair de casa para ir ao supermercado e farmácia, por exemplo. Para quem continua indo ao trabalho, não existe a necessidade de ficar com a máscara desde que o ambiente seja ventilado, sem ar condicionado e tenha entrada de sol. “Se a pessoa for sair do setor, aí sim ela deve colocar a máscara”, completou Sandra que disse que é muito importante saber colocar e tirar a máscara para não se infectar por ela. A orientação é para não colocar as mãos na camada externa da máscara. “A pessoa deve colocar e tirar a máscara apenas pelos elásticos porque se ela coloca a mão na camada externa ela vai contaminar a mão e depois pode levar a mão ao rosto e se infectar”.

Sandra lembra que tudo que diz respeito às máscaras caseiras é especulação, já que o material não é cientificamente testado. Por isso, ela disse que com relação ao tempo de uso, ela indica que a troca seja feita a cada duas horas. Ao retirar a máscara é preciso colocá-la em um saquinho ou sacola para em seguida ser colocada para lavar, sendo que o saquinho tem que ser descartado. A coordenadora explicou que a máscara deve ficar de molho por 30 minutos. “Para cada 500 ml de água, use 10 ml de água sanitária, tanto para as máscaras de pano de algodão como para as feita com TNT”.

Uma dica é utilizar o copinho de xarope para ver o ml correto, ou se não tiver o material, a coordenadora disse que duas colheres de sopa correspondem aos 10 ml. Após a lavagem, a máscara deve ser colocada no sol e se for de pano de algodão também é bom passar ela com ferro. “Usar a máscara de pano é uma medida que diminui um pouco a possibilidade de dispersão do vírus no ar”, enfatizou Sandra que alerta que as demais prevenções, como lavar bem as mãos, não tocar o rosto e manter uma melhor condição sanitária dentro de casa, não devem ser deixadas de lado. “O que não pode é achar que agora com a máscara vai estar protegido. É uma barreira mecânica, sim, mas que não impede totalmente”, finalizou.

 

Previous post

Páscoa: celebração será com igreja vazia

Next post

Castração: serviço é suspenso por tempo indeterminado