Home»Cidade»Médicos do CEM reforçam os atendimentos nas UBSs e USFs

Médicos do CEM reforçam os atendimentos nas UBSs e USFs

Auxiliares de serviços gerais e operacionais da Secretaria de Educação foram convocados para atuarem junto à Secretaria de Saúde

0
Shares
Pinterest WhatsApp

Pré-Natal e atendimentos de pacientes com sintomas de dengue seguem sendo realizados pelas UBSs (Unidades Básicas de Saúde) e USFs (Unidades de Saúde da Família). Estes locais, aliás, receberão o reforço de médicos do CEM (Centro de Especialidades Médicas) que auxiliarão no serviço de triagem de pacientes sintomáticos respiratórios leves. A Secretaria Municipal de Saúde também escalou pediatras e ginecologistas para esta mesma tarefa.

Vale pontuar que vacinação, neste momento de pandemia, não está sendo feita nas crianças menores de cinco anos para que atendam à recomendação do isolamento social. “Será retomada em 16 de abril, quando a criança será contemplada com a vacina antigripal”, esclarece a enfermeira da VE (Vigilância Epidemiológica), Rosa Maria Pinto. O município segue à norma recomendada pelo Ministério da Saúde.

As consultas eletivas estão suspensas. A retirada de medicamentos segue sendo realizada, normalmente. No caso do Centro de Saúde, por exemplo, o paciente não tem acesso ao interior da unidade. O pedido é feito na porta de entrada, onde o paciente também recebe o medicamento.

 

Convocação

Os auxiliares de serviços gerais e operacionais da Secretaria Municipal de Educação foram convocados para atuarem junto à Secretaria Municipal de Saúde. A medida consta do decreto 24.382/2020 e vai ao encontro das medidas de combate ao Covid-19.

Os profissionais passarão por curso e atuarão onde a Pasta os designá-los. Os locais não foram informados. Os servidores estiveram reunidos sexta-feira (27) na sede da Secretaria Municipal de Saúde.

O Sindiçu (Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Mogi Guaçu e Região) disponibilizou, através de página em rede social, documento para que seja preenchido e protocolado por servidores que fazem parte do grupo de risco e sejam portadores de doenças crônicas.

O presidente do Sindiçu, Valdomiro Sutério, o Miro, adianta que vai requerer à Prefeitura que estes servidores recebam o adicional de insalubridade e também ficará atento para que não haja desvio de função. “Vai poder trabalhar dentro das características descritas na função que exerce”, pontua.

Previous post

Covid-19: uso do fundo eleitoral tem aval de pré-candidatos

Next post

Albergue e Casa da Acolhida orientam moradores de rua