Home»Destaque na Home»Modesto insiste no nome de Hélio para candidato

Modesto insiste no nome de Hélio para candidato

Presidente do PMDB diz que há uma assessoria jurídica trabalhando para alcançar este propósito em 2016

0
Shares
Pinterest WhatsApp

O presidente do PMDB guaçuano, Modesto José da Costa Junior, persiste no nome do ex-prefeito Hélio Miachon Bueno (PMDB) para pré-candidato a prefeito de Mogi Guaçu nas eleições do ano que vem. Nem mesmo todo o imbróglio do caso Ibrapp (Instituto Brasileiro de Projetos e Pesquisas contratado à época em que Hélio era prefeito sem licitação para aproveitamento de créditos fiscais) assusta Modesto que não vê impedimentos jurídicos que tornem Hélio Miachon inelegível. De acordo com ele, apenas uma condenação que já tenha sido transitada em julgado é que impediria Hélio de ser candidato a cargos públicos por inelegibilidade. “O que não é o caso. Ele ainda não tem condenação nenhuma transitada em julgado. E, por isso, têm grandes chances de ser candidato a prefeito”, afirmou.

Modesto ainda ressaltou que na eleição municipal de 2012, Hélio Miachon foi induzido por outros políticos a acreditar que estava realmente inelegível e, por isso, optou por não ser candidato. “Se não fosse isso, ele é quem seria nosso prefeito, hoje. Mas convenceram Hélio de que estaria inelegível. Fizeram a cabeça dele com esta história. Desta vez, isso não irá acontecer, porque, agora, ele tem quem o defenda”, frisou.

Atualmente, Hélio Miachon é o principal nome dentro do PMDB local e o mais cotado para ser o futuro candidato da sigla a prefeito devido a sua experiência e expressão política junto à população. “O Hélio apenas não será candidato a prefeito se ele não quiser. Caso contrário, ele será, sim, nosso pré-candidato em 2016”, reforçou Modesto.

Modesto defende o nome de Hélio Miachon
Modesto defende o nome de Hélio Miachon

O presidente do PMDB disse que a rejeição das contas públicas do ex-prefeito pela Câmara Municipal não é empecilho para barrar o registro da candidatura de Hélio para concorrer a cargos públicos. Modesto explicou que a inelegibilidade não está amparada nesse item. “Essas rejeições podem ser defendidas juridicamente e sanadas, desde que haja uma assessoria jurídica que atue seriamente para isso. E vamos fazer’, assegurou.

A Gazeta tentou falar com Hélio Miachon sobre este assunto, mas ele não retornou aos recados e telefonemas deixados até o fechamento desta edição.

Vale ressaltar que o PMDB guaçuano pretende lançar chapa pura para disputar as 11 vagas na Câmara Municipal, ou seja, terá 17 pré-candidatos a vereador. Além disso, é ampla a possibilidade do PMDB coligar com o PV e o Partido Verde lançar o pré-candidato a vice-prefeito ao lado do PMDB local. “Já temos cerca de 200 novas filiações feitas nos últimos meses e a convenção partidária do PMDB, em Mogi Guaçu, será feita no dia 14 de junho de 2016”, concluiu Modesto.

Previous post

“Sem apoio não dá para continuar”, diz João Batista

Next post

Montana capota na Av. das Torres