Home»Cidade»Obra da ETE é retomada, mas segue com atraso

Obra da ETE é retomada, mas segue com atraso

O serviço é realizado pela Construtora Cappellano, mas não avançou nos últimos anos

1
Shares
Pinterest WhatsApp

Com previsão de término para o mês de junho, a construção da ETE (Estação de Tratamento de Esgoto) da região dos Ypês está atrasada, conforme admite o superintendente do Samae (Serviço Autônomo Municipal de Água e Esgoto), Elias Fernandes de Carvalho. A obra foi retomada no final do mês após 30 dias de férias coletivas.

O primeiro módulo do sistema de lodo ativo tem capacidade para tratamento do esgoto gerado por 50 mil habitantes. O serviço é realizado pela Construtora Cappellano, a mesma que venceu a licitação para execução do segundo módulo – com igual capacidade – e que aguarda apenas liberação de recursos a fundo perdido do Ministério das Cidades. O segundo módulo é orçado em R$ 15 milhões.

Estação Tratamento Esgoto IpêsAo lado do primeiro módulo segue em operação a lagoa de tratamento por lodo ativado. “O sistema de lodo ativado é mais caro que o anaeróbio porque exige a instalação de muitos aeradores que demandam o uso de energia elétrica, mas não gera mau cheiro”, explica o superintendente.

A ETE dos Ypês recebe o esgoto de toda região dos Ypês, Distrito Industrial, Santa Terezinha, Chaparral, Jardim Suécia, Jardim Novo, Jardim Artigiani, Jardim Vitória, Chaparral e Canaã. E, agora, das 1.400 casas do Jardim Ypê Amarelo que foram entregues no último dia 27.

A obra ficou paralisada por diversas vezes e já passou pela Administração de três prefeitos. A Cappellano será responsável pela execução conjunta dos dois módulos da nova ETE. A princípio, estava prevista apenas a implantação da primeira etapa da obra, iniciada há oito anos e que ainda não foi concluída, mas o município conseguiu a liberação do Governo Federal de mais R$ 15,6 milhões para a implantação do segundo módulo, que corresponde à conclusão total da obra.

Estação Tratamento Esgoto Ipês

Previous post

Fazenda Campininha não está “à venda”

Next post

“Lar Maria” atende 100 crianças de até seis anos