Home»Caderno Multi»Outubro Rosa: tempo de conscientizar

Outubro Rosa: tempo de conscientizar

0
Shares
Pinterest WhatsApp

Este é o mês destinado à conscientização e combate ao câncer de mama, é o Outubro Rosa. Esta semana, o Icesp (Instituto do Câncer do Estado de São Paulo) divulgou pesquisa inédita em que aponta que a mulher já descobre câncer mais cedo. Levantamento analisou histórico de 4 mil pacientes em cinco anos e mostra que mulheres estão cada vez mais adeptas à prevenção. Isto faz com que 60% das mulheres cheguem ao hospital com a doença diagnosticada ainda no estágio inicial.

A Gazeta falou com duas educadoras que enfrentaram o câncer de mama, Ana Paula Caetano de Abreu Sampaio, 51 anos, e Maria de Fátima Le Senechal Mufalo, 62. A professora de Língua Inglesa, Ana Paula confessou que não era adepta do autoexame, apesar de fazer religiosamente os exames preventivos. Já Maria de Fátima descobriu o nódulo durante o autoexame e procurou o médico que fez o diagnóstico.

Trabalhando na mesma escola, Maria de Fátima, que venceu o câncer há 10 anos, acompanhou a luta de Ana Paula ao receber o diagnóstico em agosto de 2013.

O problema enfrentado por ambas fez com que abrissem os olhos da família e do círculo de amigos sobre a importância da prevenção.

Ana Paula diz que contou com o apoio da família e amigos
Ana Paula diz que contou com o apoio da família e amigos

 

TRATAMENTO

“Não tive medo de morrer, mas de sofrer”, comenta a professora sobre o diagnóstico

Foi durante as férias de julho de 2013 que a professora Ana Paula Caetano de Abreu Sampaio, 51, notou algo estranho com as mamas ao colocar o biquíni. Mas jamais imaginou que se tratasse de uma doença grave. Ao retornar do passeio, já em sua casa, ela percebeu uma queimação na mama esquerda. Comentou com o marido que ao colocar a mão percebeu o nódulo. Em agosto do mesmo ano, a professora foi diagnosticada com câncer e sete meses depois submetida à cirurgia de mastectomia total da mama esquerda, adotando o mesmo procedimento na direita e colocando próteses de silicone.

Atualmente, de volta ao trabalho e recuperada, Ana Paula não mente que teve medo ao ouvir o diagnóstico. “Não tive medo de morrer, mas de sofrer”, comenta, tendo por base a situação de outras pessoas que já haviam enfrentado a doença. Ficou tão nervosa que emagreceu sete quilos em apenas uma semana. O autoexame não fazia parte da rotina da professora, apesar de religiosamente passar por consulta com ginecologista e fazer os exames preventivos.

No período que antecedeu a cirurgia, ela conta que mergulhou ainda mais no trabalho, pois era o período em que conseguia esquecer o problema. Ana Paula foi a primeira da família acometida pelo câncer de mama, o que acendeu a luz vermelha nas demais. “A cada seis meses minha irmã e sobrinha fazem os exames preventivos”, acrescenta, recomendando que as mulheres se cuidem.

A professora foi sincera ao falar que passou muito mal com o tratamento, o que envolveu sessões de quimioterapia e radioterapia. “É uma cirurgia terrível, não tenho palavras para descrever”, relata. Antes mesmo da cirurgia, Ana Paula passou por quimioterapia para a redução do tumor. Um ano e sete meses após a cirurgia, ela diz que ainda tem algumas dores.

Para ela, o que a ajudou a vencer a doença foram a fé em Deus e o apoio da família e dos amigos.

 

Multi Câncer de Mama Maria Fátima
Maria de Fátima está curada e faz exames preventivos anualmente

PREVENÇÃO

Maria de Fátima cobra o autoexame das filhas

Há 10 anos, a diretora de escola Maria de Fátima Le Senechal Mufalo, 62 anos, recebeu o diagnóstico de câncer de mama. Ela percebeu o nódulo durante o autoexame, o que foi confirmado pelo ginecologista. Após os demais exames, recebeu o diagnóstico e a notícia de que teria de fazer cirurgia. Foi retirado um quadrante da mama.

Maria de Fátima fez 10 sessões de quimioterapia e um mês e três dias de radioterapia. Está curada e faz os exames preventivos anualmente. Depois de passar pelo problema, ela conta que cobra o autoexame das duas filhas e que a situação serviu de alerta para as demais mulheres da família. “Todos ficaram muito assustados, mas pedi que ficassem calmos e enfrentei com muita fé e oração”, comenta.

A diretora diz que não teve reações com o tratamento, mas atenta que, no seu caso, o diagnóstico foi precoce, ou seja, a doença ainda estava no início.

 

A meta é conscientizar homens e mulheres sobre a prevenção
A meta é conscientizar homens e mulheres sobre a prevenção

 

EVENTO

Caminhada Azul e Rosa tem mais de 2 mil inscritos

Hoje é dia da Caminhada Azul e Rosa, cuja finalidade é conscientizar sobre a importância do diagnóstico preventivo do câncer de mama e próstata. O evento recebeu mais de 2 mil inscrições.O início da caminhada está marcado para as 8 horas,a partir do Centro Cultural.

Os participantes sairão pela Avenida dos Trabalhadores, percorrendo trecho desta até ingressar no Centro.Subirão a Avenida 9 de Abril, convergindo pela Rua Francisco Franco de Godoy Bueno para chegar à Rua João Franco Bueno, onde se localiza o Ginásio de Esportes “José Luiz de Souza Godoy”, nas dependências do Estádio Municipal “Alexandre Augusto Camacho”.

 

 

Previous post

Pastor Jean confirma pré-candidatura a vice de Tailândia

Next post

Alunos estão cada vez mais violentos