Home»Caderno Multi»Para educador, retorno poderia acontecer antes

Para educador, retorno poderia acontecer antes

0
Shares
Pinterest WhatsApp

O profissional de educação física e proprietário do estúdio de crosstrainer treinamento funcional e musculação, que fica na Avenida Mogi Mirim e leva o seu nome, Marcos Ferrari entende a atual situação vivida pelo país por conta da pandemia da Covid-19. Apesar disso, ele não concorda com a restrição que foi imposta às academias. Ferrari acredita que a atividade física promove a saúde e evita as doenças autoimunes.

Para ele, a restrição das atividades físicas deveria ter sido implantada de acordo com a realidade de cada academia ou estúdio. “No meu caso, por exemplo, eu já trabalho com horários marcados e com uma higienização diferente, então, eu não achei correto ter sido julgado dentro de um grupo amplo e acho injusto ter que estar fechado neste momento”, opinou o profissional que recebeu bem a notícia de que existe um plano de retomada das atividades. “Defendo um retorno consciente com o uso de máscara e maior rigor na higienização”, pontuou Ferrari.

Durante a quarentena, Ferrari atuou dando consultoria a seus alunos, tanto online quanto presencial. “Muitos alunos têm academias ou aparelhos de funcional em casa e, com isso, eu presto meus serviços com vídeos de treinos e até com parcerias de nutricionistas”, explicou o educador que também compartilhou que apesar da crise está conseguindo desenvolver um bom trabalho, “Vou ser sincero, não é o suficiente. É muito distante da minha realidade, mas é o que está dando para fazer neste momento”, completou Ferrari.

O profissional destacou que está pronto para a retomada das atividades seguindo todas as regras de segurança. “Vou ver tudo o que é necessário de EPIs, aumentar a disponibilização de álcool em gel, orientar meus alunos e alinhar os horários para evitar aglomeração”. Apesar de estar se preparando, Ferrari acredita que classificar as academias ainda nas próximas etapas em 20 de julho foi outro equívoco. “Poderíamos voltar a trabalhar antes, mesmo porque até dia 20 não irá mudar muita coisa do que já estamos vivendo em relação a pandemia”, enfatizou.

Marcos Ferrari acredita que todos os setores terão que se preparar, pois a mudança de hábito não irá ocorrer apenas nesta fase da pandemia. “Eu acho que a vida não vai voltar ao normal, mesmo quando a pandemia passar. Para mim, cada profissional vai ter que repensar algumas estratégias para atingir seu público, mas temos que ter força”, finalizou.

Previous post

CEI: vereadores podem ouvir prefeito sobre obras paradas

Next post

Lar de Maria: crise afeta instituição, que pode fechar