Home»Destaque na Home»Pelo WhatsApp: Foto de usuário é usada em golpe

Pelo WhatsApp: Foto de usuário é usada em golpe

Se passando pela pessoa, mensagem pedia ajuda aos contatos para realizar depósito na conta de suposto credor

0
Shares
Pinterest WhatsApp

Cibercriminosos, pessoas que cometem crimes na internet, estão roubando a foto de usuários do WhatsApp para enganar os contatos da vítima pedindo dinheiro emprestado. A nova categoria de golpe já fez ao menos três vítimas em Mogi Guaçu. No último dia 15, o jornalista e professor universitário Emerson Araújo teve a foto de seu WhatsApp utilizada por criminosos que usaram a imagem em outro número de telefone.

Se passando por Araújo, os criminosos dispararam mensagens a diversos contatos dele dizendo que precisava de dinheiro emprestado para pagar uma pessoa, mas no momento não tinha o valor e não conseguia pegar no banco porque seu limite de negociação já havia excedido. “Muitos responderam a mensagem dizendo meu nome e questionando: Emerson é você, mudou de número? E com isso os criminosos afirmavam que era eu mesmo”, explicou o jornalista.

Já outros dois amigos dele desconfiaram e disseram que iriam entrar em contato por um telefone fixo. “Nestes dois casos, a conversa foi interrompida”. Já duas pessoas da lista de contatos de Araújo acabaram acreditando na mensagem do “amigo” e realizaram os depósitos bancários, sendo um no valor de R$ 500 e outro de R$ 980. “Na mensagem padrão, eles diziam que eu precisava de R$ 1.400, mas aceitavam a quantia que a pessoa podia ajudar”. Os dois depósitos foram feitos nas contas de duas mulheres com agências fora da cidade, sendo uma de Santa Isabel (SP) e outra da Cidade de Deus (RJ).

O jornalista disse que conseguiu recuperar os R$ 500 de uma das vítimas. Isso porque, ela fez o depósito em envelope no caixa eletrônico e ele foi até o banco, onde conversou com o gerente que logo reteve o valor. Já a outra vítima que depositou R$ 980 fez a transação online e perdeu o dinheiro para os golpistas. No mesmo dia, Araújo se deu conta de que sua foto estava sendo usada em um golpe porque pessoas começaram a ligar no celular da esposa dele. “Meu número ficou inoperante por duas horas, o que me causou muita estranheza”. Ele foi até a loja da operadora de celular e constatou que pessoas estavam tentando mudar os seus dados cadastrais. O problema com o seu número foi sanado pela operadora e Araújo começou a disparar aos seus contatos uma mensagem de alerta dizendo que ele não estava pedindo nenhum valor em dinheiro e que as pessoas não realizassem depósito em contas de terceiros.

O jornalista e seus dois amigos que caíram no golpe foram até CPJ (Central de Polícia Judiciária) e registraram um Boletim de Ocorrência por estelionato. “É uma situação chata. A gente fica chateado, mas também não tem culpa”, afirmou a vítima que ainda pontuou que hoje em dia a facilidade das redes tem feito os cibercriminosos acessarem dados e fotos de maneira inexplicável. Com isso, ele reiterou que é muito comum mudar o número de telefone. Porém, não basta apenas olhar na foto e acreditar que realmente é aquela pessoa que está por de trás da tela do celular. “Tem que desconfiar e questionar onde a pessoa está, dizer que vai pessoalmente levar o dinheiro e não realizar nenhum depósito porque é um erro fatal”.

 

Dicas

A delegada de Polícia Civil Edna Martins explicou que existem etapas de segurança que podem ser feitas pelos usuários para evitar que o WhatsApp seja clonado e, consequentemente, usado em práticas de golpe. A orientação dada em caso de golpe é para que a vítima entre em contato com a operadora para solicitar a suspensão temporária da linha telefônica. “Em seguida vá à loja autorizada e solicite a transferência do número para outro chip”, completou.

O terceiro passo é enviar um e-mail para support@whatsapp.com informando seu número no formato internacional (+55 9 xxxx xxxx) solicitando bloquear o WhatsApp clonado. A delegada informou que para evitar clonagem é preciso ainda ativar confirmação em duas etapas. “Será pedido um pin criado pelo usuário sempre que houver tentativa para verificação de número”, esclareceu Edna que enfatizou que na própria internet é possível encontrar dicas seguras que evitam golpes online.

Além disso, na internet nunca se deve acreditar em mensagens que pedem dinheiro ou dados pessoais. No entanto, em caso de se ver em condição de vítima é sempre necessário registrar um Boletim de Ocorrência na delegacia.

Previous post

Tronco de árvore é retirada de dentro de córrego

Next post

Grêmio e Internacional decidem título da Copa São Paulo