Home»Cidade»Plano de contingência prevê reabertura da UPA

Plano de contingência prevê reabertura da UPA

No combate ao novo coronavírus, Saúde organiza esquema que abrange HM, Santa Casa e as UPAs

0
Shares
Pinterest WhatsApp

A UPA (Unidade de Pronto Atendimento) do Jardim Santa Marta, fechada há seis anos, será reaberta e integrará as ações do plano de contingência da Secretaria Municipal de Saúde voltado ao atendimento dos casos suspeitos e confirmados de pacientes com o novo coronavírus (Covid-19). A informação foi confirmada pela Prefeitura, mas não foi mencionada a data de reabertura. Esta semana, o local recebeu os aparelhos de ar condicionado e estava passando por pintura interna e externa.

A assessoria de imprensa da Prefeitura informou que ainda não é possível prever o número de leitos a serem criados, mas a UPA do Santa Marta servirá para dar suporte caso a procura por pacientes no Hospital Municipal “Dr. Tabajara Ramos” evolua. Para equipar o local, respiradores e outros equipamentos, além de mobiliários, estão sendo adquiridos e locados para a montagem dos leitos.

O plano de contingência abrange, além do HM e da UPA, a Santa Casa de Misericórdia e a UPA do Jardim Novo II (antigo PPA). Foi definido que o HM centralizará todas as ações, servindo de unidade para os casos urgentes de internação e isolamento. Por sua vez, a UPA do Jardim Novo servirá aos pacientes com outras patologias, como a dengue. Com isto, a UPA do Santa Marta receberá os casos considerados semicríticos. A Prefeitura também está avaliando as condições de algum hotel que possa oferecer leitos para pacientes em isolamento.

A Gazeta apurou que um dos locais sondados pela Administração Municipal é o Hotel Baradah, à Praça Rui Barbosa, o Recanto. O local foi fechado há quase quatro anos, precisamente em agosto de 2016. E, claro, caso seja utilizado neste momento de pandemia, deverá passar por processo de limpeza e higienização. “O hotel não será uma unidade de internação e nem estará apto para receber casos graves, mas apenas para aqueles pacientes que não cumprem isolamento domiciliar”, traz a nota da Prefeitura.

A Secretaria de Saúde, devido os decretos de situação de emergência e de estado de calamidade, aprovado segunda-feira (23), pela Câmara Municipal, tem prioridade para investir no que é necessário para atender a população. O plano de contingência foi traçado para atender a um possível aumento de demanda de pacientes com o novo coronavírus. A elaboração das ações é discutida em reuniões com profissionais de vários setores da saúde.

 

ORIENTAÇÕES

Também foi definido que o paciente com dificuldade respiratória que esteja em domicílio ou em alguma UBS (Unidade Básica de Saúde) ou USF (Unidade de Saúde da Família) poderá requisitar ambulância do Samu para ser encaminhado ao HM que, por sua vez, está ampliando a oferta de leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) e isolamento.

Com a suspensão das cirurgias eletivas, o Centro Cirúrgico do HM será transformado em UTI, com capacidade para 15 leitos. Um setor da oncologia também está sendo adaptado para contar com leitos de isolamento, assim como toda a hotelaria. A montagem dos leitos, assim como na UPA do Santa Marta, também depende da locação e compra de equipamentos para UTI e em isolamento.

Confira em detalhes a função do HM, Santa Casa e UPAS, conforme o plano de contingência:

 

UPA DO JARDIM NOVO

Continua apta a atender outras patologias, dentre elas casos suspeitos de dengue, tentando absorver a demanda de quem procura pelo Pronto Socorro do Hospital Municipal.

HOSPITAL MUNICIPAL

Centralizará atendimentos dos pacientes classificados como críticos e semicríticos.

 

UPA DO SANTA MARTA

Atenderá os chamados casos semicríticos do novo coronavírus, em apoio ao HM.

 

SANTA CASA

A Santa Casa continuará atendendo outras patologias, com reserva de leitos para gestantes e crianças enquadradas como casos suspeitos do novo coronavírus.

Previous post

Cartório Eleitoral suspende atendimento presencial

Next post

Bolsonaro e a epidemia