Home»Cidade»Posicionamento sobre mudança de fase é aguardado

Posicionamento sobre mudança de fase é aguardado

Ministério Público pediu informações para a Prefeitura após prefeito manter cidade na fase amarela do Plano SP

0
Shares
Pinterest WhatsApp

A Administração Municipal enviou ao MP (Ministério Público) os dados técnicos solicitados em relação à Covid-19. O ofício com o pedido foi encaminhado quinta-feira (26) à Prefeitura. O município terá de comprovar de forma técnica que pode permanecer na fase amarela do Plano São Paulo. O posicionamento do MP é aguardado para a próxima semana.

O município, por decisão do prefeito Walter Caveanha (PTB), contrariou a decisão do Governo do Estado que retrocedeu para a fase laranja a DRS (Diretoria Regional de Saúde) XIV de São João da Boa Vista. Este contato do MP já tinha ocorrido, porém de modo informal. O município enviou todas as informações sobre o novo coronavírus, como total de casos, número de ocupação de leitos e total de óbitos.

Este retrocesso à fase laranja é visto com cautela pela Secretaria Municipal de Saúde. Isto porque, a responsável pelo órgão, Clara Alice Franco de Almeida Carvalho, acredita que possa ter ocorrido falha por parte do Estado na análise dos dados, considerando que há regiões com índices piores e que seguiram na fase amarela.

A colocação foi feita na manhã de segunda-feira (24) em reunião do Movimento Saída Consciente com o COE (Comitê de Operações Emergenciais em Saúde Pública), na Câmara Municipal. Inclusive uma cópia do mapa estadual foi usada como exemplo, mostrando o percentual da ocupação de leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) em todos os Regionais de Saúde, segundo dados do último dia 21.

“Acredito que houve erro na conta do Estado porque, depois, comparando com outras regionais, comparamos com todas do Estado de São Paulo, tínhamos 28% no dia 18, dia 21, nós passamos para 51%. Piracicaba 59%, Campinas 62%, Ribeirão Preto 65%, Bauru 66%, tudo mais alto e continuaram na (fase) amarela, não tem lógica. A taxa de óbito é a mesma coisa. Achamos que tenha havido engano”, disse Clara sobre o percentual da ocupação de leitos de UTI.

Caso o que tenha pesado mais seja o percentual de internações de algumas cidades, a secretária frisou que estes pacientes podem ser transferidos para Mogi Guaçu que serão atendidos.  Para Clara, não há lógica neste retrocesso porque os óbitos por mil habitantes também estão muito inferiores a ouras regiões do Estado, em especial Campinas e Piracicaba. Esta observação foi apresentada ao Cosem (Conselho dos Secretários Municipais de Saúde) para que seja repassada ao Governo do Estado.

A Prefeitura de Mogi Mirim também segue na fase amarela e irá justificar a permanência com os dados epidemiológicos quando for acionada.

Previous post

Editorial: Problemas à vista

Next post

Café: consuma com moderação