Home»Cidade»Prefeitura não tem previsão para retorno da Zona Azul

Prefeitura não tem previsão para retorno da Zona Azul

Nova licitação está em andamento, segundo adianta o secretário de Obras e Viação, Salvador Franceli

0
Shares
Pinterest WhatsApp

Mogi Guaçu não conta mais com o sistema de estacionamento rotativo e pago que era oferecido pela TecPark e popularmente conhecido como Zona Azul. O serviço foi suspenso no final do mês passado. Agora, a Administração Municipal prepara os documentos para o processo licitatório.

O contrato com a TecPark venceu em 18 de agosto e não pôde ser renovado porque este procedimento já havia sido adotado pelo período de 60 meses, ou seja, cinco anos. Segundo o secretário de Obras e Viação, Salvador Franceli, este era o período limite para o procedimento. “Venceu, não pudemos renovar e já estamos preparando a licitação, prevendo um serviço mais moderno, por aplicativo”, acentua.

Mas o secretário não esconde que o processo de licitação é complicado. “É terrivelmente complicado porque é uma concessão que tem que fornecer para empresa, através de licitação pública, claro, mas é problemático. Já estou providenciando um novo processo licitatório, mas demanda tempo”, detalha.

Com o encerramento do contrato, a empresa retirou dos estabelecimentos comerciais os equipamentos usados para cobrança de estacionamento. E o mesmo será feito com os parquímetros que, segundo Franceli, caberá à Administração Municipal dar destinação a estes equipamentos. Questionado sobre a possibilidade de renovação emergencial, ele justifica que não houve permissão por parte do Tribunal de Contas.

A TecPark operava em Mogi Guaçu há 20 anos. Em 2017, o serviço ficou inativo por 85 dias, em decorrência de problemas técnicos. O sistema que operava o estacionamento rotativo foi desenvolvido em 1999, por uma empresa argentina. A transmissão era feita por fibra ótica e utiliza inúmeros programas para fazer essa transmissão de dados. As vagas de Zona azul estavam distribuídas pelas ruas da área central.

A Gazeta entrou em contato com o escritório da Tec Park para saber como será feita a devolução dos valores que constam dos botons, mas não conseguiu contato. Salvador Franceli informou que a empresa irá se programar para ainda no mês de setembro ressarcir os valores aos usuários.

 

Previous post

Poupatempo faz mutirão para pedidos de documento

Next post

Partidos oficializam Marçal e professor Edson