Home»Cidade»Problema de falta de água é levado ao MP

Problema de falta de água é levado ao MP

Ofício foi protocolado pelo vereador Guilherme de Sousa Campos, o Guilherme da Farmácia (PSD)

0
Shares
Pinterest WhatsApp

“A situação já passou dos limites e, por isso, vou recorrer ao Ministério Público”, comentou o vereador Guilherme de Sousa Campos, o Guilherme da Farmácia (PSD), sobre a falta de água na Zona Sul. Isto porque, as queixas do problema são recorrentes e, no entendimento do vereador, o Samae (Serviço Autônomo Municipal de Água e Esgoto) não resolve, em definitivo, a situação.

O ofício foi protocolado quinta-feira (25) no Ministério Público, sendo que o vereador anexou ao pedido de ajuda todas as reclamações que recebeu dos moradores. “São as postagens onde os moradores relatam falta de água constante, quais os bairros. Enfim, a própria população reclamando da situação”, pontua Guilherme.

Ano passado, o vereador chegou ao levar um grupo de moradores à ETA (Estação de Tratamento de Água), quando o assunto já era a falta de água na Zona Sul. À época, foram recebidos pelo diretor de obras da autarquia, Adilson Faboci que relatou detalhes da obra de ampliação do local.

Esta semana, a falta de água voltou a gerar muitas queixas porque o problema se estendeu por vários dias. Há relatos de falta de água por longos períodos, o que faz com que a água dos reservatórios seja consumida no dia seguinte. E o problema retorna com nova falha no abastecimento.

Moradora no Jardim Itamaraty, Maria Cláudia Espigolone comenta que a falta de água é observada em até três vezes ao dia, o que faz com que haja receio de usar a máquina de lavar. “Sem água, a máquina pode queimar”, comenta. Em geral, ela diz que o abastecimento é retomado de madrugada, por volta da uma hora.

“Gostaria de pedir que alguém faça alguma coisa por nós. Já estive no Samae, junto com outros moradores, e eles prometeram arrumar essa situação, mas até agora nada. Quando não falta água, a água da mangueira não dá para lavar nada porque não tem pressão”, detalha. Maria Cláudia é uma das moradoras que foi à ETA, juntamente com o vereador e outros moradores.

SAMAE

Faboci justificou que na quarta-feira (24) houve interrupção no abastecimento em decorrência de obra na ETA, com a instalação de dois tubos para chegada de água bruta. “A previsão é de que o serviço fosse feito das 7 às 11 horas, mas se estendeu até às 15 horas. E o sistema não aguenta tanto tempo”, diz referindo-se ao esvaziamento dos reservatórios que abastecem os bairros.

O diretor de obras explica que leva um tempo para normalizar o sistema após uma obra, sendo que estava prevista a retomada do abastecimento para a manhã de sexta-feira (26). Faboci revela ter advertido a empreiteira responsável pela obra. Quanto a queixa da existência de ar nas torneiras todas as vezes que o abastecimento é retomado, ele pede que a queixa seja feita ao Samae pelo número 3831.9870, sendo fornecido o endereço para que a equipe verifique a rede que abastece o local.

A entrada de ar é resolvida com a instalação de válvula ventosa na tubulação. Paralelo, a isto, a equipe do Samae segue na busca de vazamentos na Zona Sul. O serviço é feito com o uso do equipamento de geofone. Faboci garante que a equipe está trabalhando para oferecer o melhor à população.

Previous post

Editorial: Realidade dura e cara

Next post

Feiras: suspensa a venda de itens não alimentícios