Home»Destaque na Home»Quase 30 mil eleitores terão o título cancelado

Quase 30 mil eleitores terão o título cancelado

Prazo para o cadastro da biometria terminou na última quinta-feira (19) e o movimento foi intenso no Cartório Eleitoral

0
Shares
Pinterest WhatsApp

Os números oficiais serão fechados e confirmados a partir do dia 7 de janeiro, mas já assustam. 29.600 eleitores da Zona Eleitoral 216, que engloba Mogi Guaçu e Estiva Gerbi, não fizeram o cadastro da biometria, que era obrigatório. As eleições municipais do ano que vem serão por biometria e esses eleitores não poderão participar se não regularizarem a situação junto à Justiça Eleitoral.

Como o esperado, o movimento nos Cartórios Eleitorais se intensificaram nesta semana, principalmente nos dois últimos dias. Terminou na quinta-feira (19) o prazo para que o eleitor fizesse o cadastro da biometria. Apesar da ampla divulgação, os eleitores deixaram para a última hora.

O chefe do Cartório Eleitoral, Hugo Ornelas, disse que ficou assustado com os números. “Eu superestimei nossos números e pensei que tínhamos atendido mais nesta semana, mas, não. 29.600 pessoas não fizeram a biometria e, se não forem até 6 de maio regularizar a situação não votam na próxima eleição”, ressaltou à Gazeta.

Hugo

A reportagem acompanhou o movimento intenso na frente do Cartório Eleitoral, principalmente nas últimas quarta e quintas-feiras. Os eleitores pegavam senha e esperavam pelo atendimento do lado de fora. A maioria disse que sabia do cadastro da biometria, mas acabou deixando para a última hora. “Ah, o brasileiro deixa tudo para a última hora e acabei deixando também e tem umas 200 pessoas na minha frente”, comentou um deles.

O atendimento ganhou reforço e todos os eleitores que pegaram senha foram atendidos até quinta-feira à noite. O expediente foi encerrado após às 19h30. Dos quase 30 mil eleitores que não atenderam ao chamado da Justiça Eleitoral, a maioria é de Mogi Guaçu, pois Estiva Gerbi já tinha atingido um percentual de mais de 82% até o último dia 16.

Ainda na quinta-feira, o Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo (TRE-SP) anunciou que o prazo não seria estendido. Quem não cadastrou a biometria teve seu título de eleitor cancelado, apesar disso é possível refazer o título.

Para regularizar a situação a tempo de votar em 2020 é necessário agendar uma visita ao Cartório Eleitoral ou em algum posto da Justiça Eleitoral no período entre 7 de janeiro e 6 de maio. É preciso levar documento original de identificação com foto, comprovante de residência emitido nos últimos três meses e título eleitoral, caso tenha. Quem perder o prazo de maio só poderá regularizar o título em novembro. Nesse caso, será cobrada uma multa de R$ 3,51.

Mas o chefe do Cartório Eleitoral de Mogi Guaçu lembrou que até que a situação seja regularizada o eleitor ficará com o título e o CPF cancelados. “As pessoas podem procurar o Cartório Eleitoral a partir do dia 7 de janeiro, porque após essa data elas conseguirão reativar o título eleitoral, mas até lá ficará com o título cancelado”, comentou.

Sem o título em dia, o eleitor fica impedido de votar, pedir passaporte, se inscrever em concursos públicos, pedir empréstimo em banco público e renovar ou fazer matrícula em instituições públicas de ensino.

Em Mogi Mirim, o Cartório Eleitoral não tinha uma estimativa para divulgar e informou que os dados serão repassados a partir do dia 7 de janeiro.

Previous post

Natal: Nascimento de Jesus é foco de data

Next post

Tome Nota da edição de sábado, dia 21