Home»Cidade»Reajuste: data-base da categoria não é respeitada

Reajuste: data-base da categoria não é respeitada

Miro aguarda posicionamento da Administração Municipal

0
Shares
Pinterest WhatsApp

Os servidores públicos de Mogi Guaçu vão receber os salários de março sem o reajuste anual da categoria. Isso porque, a Prefeitura não deu retorno ao Sindiçu (Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Mogi Guaçu e Região) sobre o reajuste do funcionalismo. Como a data-base da categoria é março, a direção do Sindiçu protocolou a pauta de reivindicações há cerca de 20 dias.

Foi protocolado pedido de reajuste de 5% que seria a soma de 3,92% do índice da inflação do período mais as perdas salariais. Além disso, foi solicitado o aumento do abono concedido aos servidores de R$ 100 para R$ 150. Porém, o prefeito Walter Caveanha (PTB) enviou para a Câmara no dia 23 de março o projeto de lei que dispõe sobre a concessão do abono especial aos servidores mantendo o valor de R$ 100. O projeto foi aprovado pelos vereadores.

A pauta de reivindicações, segundo o presidente do Sindiçu, Valdomiro Sutério, o Miro, é extensão e contém outros itens mais específicos de algumas categorias, como a dos professores. Mas Miro citou o pedido de pagamento mínimo de 20 horas extras por mês.

Por conta das ações de enfrentamento do novo coronavírus, Miro não conseguiu se reunir com a equipe econômica do prefeito e disse que as negociações estão difíceis. “Eu tenho ligado e cobrado uma posição, mas está bem complicado”. Sem resposta do Executivo, o presidente do Sindiçu disse que vai continuar aguardando uma resposta oficial sobre o dissídio. “Até agora não fui informado

A Secretaria de Comunicação da Prefeitura informou que a discussão em torno do reajuste dos servidores ainda não foi encerrada. A informação é que uma avaliação está sendo feita pela equipe econômica.

 

Anteriores

Em 2019, os servidores de Mogi Guaçu receberam em junho os salários com o aumento de 3,94%. O índice do repasse da inflação foi aprovado pelo Executivo e previa o reajuste a partir de 1º de maio. Ou seja, o pagamento não foi retroativo a março, data-base da categoria.

O direção do Sindiçu chegou a realizar assembleias com os servidores e houve consenso de se pedir o índice de 5,82%, que seria a inflação de 2018 e 2017. Porém, a solicitação não foi aceita. Vale ressaltar que os servidores de Mogi Guaçu não tiveram reajuste salarial em 2018.

Previous post

Motoboys: categoria reforça medidas de higienização

Next post

Jovem morre em acidente de moto