Home»Cidade»Sem aluno: Quatro creches ainda não funcionam

Sem aluno: Quatro creches ainda não funcionam

As unidades do Jardins Guaçu Mirim Chaparral e Ypê Amarelo estão em construção e a do Pantanal já foi finalizada

0
Shares
Pinterest WhatsApp

O ano letivo da rede municipal de ensino começa na próxima segunda-feira (3), mas a Prefeitura de Mogi Guaçu ainda não conseguiu entregar as quatro novas creches que são esperadas pelos moradores dos bairros Guaçu Mirim III, Chaparral, Ypê Amarelo e Pantanal.

Na última quarta-feira à tarde, a Gazeta visitou os quatro CEIs (Centros de Educação Infantil), antigas creches, e verificou a situação de cada uma das unidades. Nenhuma delas irá receber alunos nesse início de ano.

A obra da creche do Pantanal foi entregue à Prefeitura há três meses, segundo a reportagem apurou junto aos representantes da empresa Infratécnica Engenharia e Construções, empresa contratada pela Caixa Econômica Federal. “Já concluímos a obra e entregamos para a Prefeitura”, comentou um dos funcionários que preferiu não se identificar.

Pantanal

De fato, a creche está pronta e um guarda civil municipal estava dentro do prédio, quando a reportagem chegou ao Pantanal. Ou seja, a GCM tem deslocado guardas civis para a proteção do prédio público. A unidade não conta com nenhum tipo de mobiliário e a rua em frente ainda precisa ser asfaltada, pois não possui guia e sarjeta.

A construtora Infratécnica Engenharia também é a responsável pela creche do Residencial Ypê Amarelo. Homens trabalhavam na unidade na última quarta-feira. “A gente deve entregar essa unidade dentro de 15 dias. Estamos fazendo alguns ajustes e lavando os cômodos”, comentou o funcionário.

O modelo das creches do Pantanal e Ypê Amarelo é o mesmo, com um amplo espaço e diversas salas para acomodar as crianças, assim como as unidades dos Jardins Chaparral e Guaçu Mirim III são praticamente iguais. O que muda são os tamanhos das creches. Os projetos do Ypê Amarelo e Pantanal são da gestão do prefeito Walter Caveanha (PTB) e os outros dois do ex-prefeito Paulo Eduardo de Barros, o Dr. Paulinho (MDB).

Ypê Amarelo

As construção do Chaparral e Guaçu Mirim III são as mais antigas, foram iniciadas em 2012. A reportagem encontrou funcionários trabalhando nessas duas unidades. Segundo o responsável pela Construelo Projetos e Construções Ltda, que preferiu não se identificar, a obra do Jardim Chaparral deve ser entregue dentro de 30 dias. “Estamos fazendo alguns serviços internos, como a colocação de espelhos e vamos melhorar a pintura do lado externo por conta do tempo em que a construção ficou parada. Mas devo entregar essa obra nesse prazo”, revelou.

Chaparral

A Construelo Projetos também é a responsável pela obra do Guaçu Mirim III e lá o prazo de entrega é maior. “Nós demos uma adiantada boa. Hoje (quarta) estamos concretando o restante do pátio e tem ainda muita coisa para fazer”, comentou ao citar “alguns meses”.

Os funcionários comentaram que pais de crianças estão indo nas construções para saber sobre o funcionamento. “Diversos pais estão vindo nas unidades para perguntar quando começam as inscrições”.

 

Sem obra

Vale lembrar que em 2018 a Administração Municipal anunciou a construção de outras duas creches nos Jardins Zaniboni e Hermínio Bueno. No ano passado, foi confirmado que o Governo Federal não enviaria mais recursos para a obra do Zaniboni, mas que a construção da creche do Hermínio Bueno seria iniciada. Mas até o momento não há movimentação no local nem explicações por parte da Prefeitura.

 

Prefeitura

A Gazeta pediu informações para a assessoria de imprensa sobre os prazos de entrega das obras. Foi informado que a obra da creche do Jardim Guaçu Mirim III está com término previsto para 30 de junho. Já as creches do Jardim Chaparral e Ypê Amarelo serão entregues em até 30 dias. A Prefeitura confirmou que a obra do Pantanal já foi entregue, restando apenas o pavimento que fica em frente ao prédio, mas não informou prazos. “A creche do Chaparral terá 112 vagas, a creche do Pantanal terá 100 vagas e creche do Ypê Amarelo terá 188, todas em período integral”.

Guaçu Mirim
Previous post

Tome Nota da edição de sábado, dia 1º

Next post

Escritora guaçuana assume selo editorial