Home»Destaque na Home»Servidor é preso por furtar remédios e outros produtos

Servidor é preso por furtar remédios e outros produtos

Policiais civis flagraram o servidor com o material retirado do almoxarifado, mas ele responde em liberdade

0
Shares
Pinterest WhatsApp

Um funcionário público municipal foi preso em flagrante na tarde da última quinta-feira (21) por crime de peculato contra a Prefeitura. Isso porque, ele estava furtando medicamentos e produtos do almoxarifado da Secretaria Municipal de Saúde, que fica na Vila Paraíso. A prisão do funcionário aconteceu em frente à casa dele, no Jardim Santa Terezinha. Policiais Civis da DIG (Delegacia de Investigações Gerais) estavam observando o almoxarifado, quando viram o funcionário deixando o local com uma caixa que foi colocada no porta-malas do carro da Secretaria, um VW/Gol City branco. A DIG solicitou a não divulgação do nome do servidor municipal.

O servidor foi acompanhado pelos policiais que estavam descaracterizados e ele foi abordado assim que estacionou o veículo em frente a sua residência. Na caixa que ele havia colocado no porta-malas continham luvas e álcool em gel. Já dentro do imóvel, que também foi revistado, os policiais encontraram diversas cartelas de remédios, como omeprazol, dipirona, nimisulida, diclofenaco, paracetamol, preservativos, mais luvas e álcool em gel, além de lâmpadas de led.

O funcionário público foi preso em flagrante pelo crime de peculato.

 

Investigação

A delegada titular da DIG, Edna Salgado Martins, informou à Gazeta que na semana passada um representante da Prefeitura procurou a Polícia Civil para relatar a subtração de medicamentos e produtos do almoxarifado da Secretaria de Saúde, sendo que eles já haviam instalados câmeras no prédio e tinham um suspeito que foi visto nas imagens saindo do local levando caixas. “No entanto, não tinham como ter certeza se era ele”.

Com isso, os policiais civis passaram a observar o almoxarifado, sendo que na última quinta-feira, o suspeito foi visto, acompanhado e abordado. Edna também informou que o funcionário público alegou que ele iria usar o álcool em gel em sua casa e iria vender as luvas, já que estaria passando por dificuldades financeiras. Quanto aos medicamentos, ele disse que não furtou porque eram sobras e que iria usar as seringas para aplicar remédio em cavalo. “Não eram sobras, o representante da Prefeitura falou que os medicamentos foram furtados”, pontuou Edna que ainda explicou que o funcionário foi preso em flagrante e em seguida foi encaminhado para um juiz que considerou o flagrante da DIG legal, mas concedeu liberdade provisória a ele com medidas cautelares. Se for condenado, o funcionário público poderá pegar uma pena que varia de dois a 12 anos de prisão.

 

Sindicância

O assessor técnico da secretaria de Saúde, Pedro José Gonçalves, informou que todos foram pegos de surpresa pelo fato ocorrido com o funcionário que trabalhava na Saúde há 17 anos. “É uma atitude isolada de um servidor que tem muito tempo de casa. Todos aqui tinham muita confiança nele, até porque era um bom funcionário, o que nos causou muito constrangimento. Estamos todos lamentando o ocorrido”, enfatizou. Gonçalves disse que o funcionário já está afastado de suas funções e que a Secretaria está preparando toda a documentação policial para incluir nas referências dele para poder instaurar um processo administrativo disciplinar, ou seja, uma sindicância.

Quanto ao prejuízo causado pelos furtos, Gonçalves informou que um inventário de tudo o que está faltando no almoxarifado está sendo feito. “Os produtos da caixa que estava com ele no momento da abordagem custaram R$ 1.250 à Prefeitura”, finalizou o assessor.

Previous post

Quarentena completa dois meses; cidade soma 75 casos positivos

Next post

Após matar a ex a tiros acusada é presa