Home»Opinião»Tome Nota da edição de sábado, dia 1º

Tome Nota da edição de sábado, dia 1º

0
Shares
Pinterest WhatsApp

Polêmicas

O mês de janeiro foi pontuado por assuntos polêmicos. A definição sobre a tarifa do transporte público ainda não foi feita pelo prefeito Walter Caveanha (PTB). Pelo menos até ontem (31) nenhuma informação sobre o assunto foi confirmada. Pode ser que a semana tenha sido pesada, principalmente por conta da enxurrada de críticas ao corte de árvores que está sendo feito no canteiro central da Avenida Clara Lanzi Bueno. Moradores e comerciantes mostraram o descontentamento pelo serviço. Nem mesmo a justificativa de que uma obra será feita no local acalmou os ânimos.

 

Presentes

Os vereadores Rodrigo Falsetti (PTB), Natalino Tony Silva (Rede, Guilherme da Farmácia (PSD) e Fabinho (PSDB) foram na quarta-feira (29) até a Avenida Clara Lanzi após serem chamados por moradores. Eles ouviram xingos da população que estava revoltada pelo serviço. Enquanto os tratores derrubavam as árvores, os vereadores tentavam explicar que o projeto é do Executivo. Quem passou pelo local, mas de carro, foi o vereador Thomaz Caveanha (PTB), mas não parou para falar com os moradores, assim como fez o vice-prefeito Daniel Rossi (PL), que seguiu caminho.

 

Encontros

Nesta semana, o vice-prefeito foi visto num almoço com o empresário Marcos Antonio (PSD). O assunto em pauta certamente é a disputa eleitoral de outubro. No meio político, é dada como certa a parceria entre Daniel Rossi e Marcos Antonio, mas não se sabe se o apoio significaria uma possível chapa mais para frente. Uma ala do Governo Municipal não vê com bons olhos a aproximação entre os dois e torcem o nariz quando Marcos Antonio é apontado como uma possibilidade de ser o candidato a vice na chapa encabeçada pelo vice-prefeito.

 

Pontes

Nem tudo sai conforme o planejado, principalmente no setor público. A licitação para a escolha das empresas que ficarão responsáveis pela construção de duas pontes na cidade não foi feita no último dia 29. A Prefeitura informou que um recurso inviabilizou o processo que precisou ser suspenso. Não foi informado uma nova data para a licitação, o que deve atrasar os planos da Administração Municipal em concluir as obras de mobilidade urbana o quanto antes. A licitação prevê a construção de uma ponte ao lado da ponte de ferro e uma outra na Avenida Brasil.

Previous post

Fehidro confirma liberação de mais de R$ 500 mil

Next post

Sem aluno: Quatro creches ainda não funcionam