Home»Opinião»Tome Nota de sábado, dia 8

Tome Nota de sábado, dia 8

0
Shares
Pinterest WhatsApp

Fake News

Preocupado com a previsível avalanche de fake news numa eleição que envolve 5.570 municípios, o Tribunal Superior Eleitoral quer coibir de forma explícita a disseminação de informações inverídicas e não verificadas durante a campanha desse ano. Um mecanismo contra o compartilhamento de notícias falsas foi incluído pela primeira vez em uma minuta de resolução do TSE. As resoluções são normas que balizam a atuação da Justiça Eleitoral durante as eleições. A campanha eleitoral nem começou, mas as notícias falsas já, infelizmente.

 

Coronavírus

Nesta semana, o pretenso candidato ao Executivo, Benedito Pereira Costa Júnior, conhecido como Coronel Costa, gravou um vídeo falando sobre uma paciente que estaria isolada no Hospital Municipal “Dr. Tabajara Ramos” por suspeita do coronavírus. Ele afirmou que o caso estava em sigilo. Após repercussão em rede social, a Prefeitura divulgou uma nota negando que o município tenha caso suspeito de coronavírus e afirmou ser mentira que haja paciente com caso suspeito da doença internado no Hospital Municipal, na Santa Casa e na UPA. E classificou a postagem como sendo irresponsável.

 

Faltou dado

Porém, o médico Cláudio Pessoa, que fez o atendimento no Hospital Municipal, confirmou à Gazeta que a paciente, que voltou da Europa recentemente, passou pelo pronto atendimento e houve, sim, cautela em deixá-la em observação. A paciente foi liberada com quadro gripal, mas segue sendo acompanhada. Ou seja, a Prefeitura não foi transparente ao omitir o atendimento feito pelo HM e só se preocupou em negar que o município tenha caso suspeito do coronavírus. Mais do que combater fake news, é importante dar transparência para o que é público ainda mais em caso de saúde pública.

 

Convocado

Nesta semana, os vereadores aprovaram a convocação do secretário de Planejamento e Desenvolvimento Urbano, Luis Henrique Bueno Cardoso. Foi a terceira tentativa feita pelo vereador Fábio Aparecido Luduvirge Filetti, o Fabinho (PSDB). “Até achei que não fossem aprovar novamente, mas passou”, comentou ao lembrar que os vereadores de situação não tinham aprovado a convocação nas duas outras votações. O secretário tem o prazo de 30 dias para agendar sua ida ao Legislativo e deve ir preparado, pois Fabinho colocou diversos itens para serem debatidos, entre eles, as obras do corredor de ônibus.

Previous post

ExpoGuaçu vai do sertanejo ao pagode

Next post

Zanco tenta explicar projeto do Executivo ao ser questionado