Home»Caderno Multi»União: médico exalta engajamento da equipe

União: médico exalta engajamento da equipe

0
Shares
Pinterest WhatsApp

O anestesista revela que quando os casos começaram a positivar em Mogi Guaçu ficou assustado porque esta realidade ainda parecia mais distante, mas passou a assustar ainda mais quando pessoas próximas, inclusive colegas de trabalho, começaram a manifestar a doença. “A gente se sente impotente”, diz sobre a ocorrência de óbitos. E lembra que o hospital já teve a perda de uma profissional da área de saúde, o que abalou a equipe.

Por conta da alta transmissibilidade do novo coronavírus, as visitas aos pacientes da UTI não são permitidas, sendo esta uma medida de proteção à própria família e amigos do paciente. Apesar da gravidade da situação, ele diz que a equipe trabalha tranquila, o clima é bom e sereno, sendo que todos foram treinados para fazerem o melhor ali. “Todos estão muito engajados, médicos, enfermagem, equipe de limpeza”, frisa.

Fernando José ressaltou que há uma equipe de médicos capacitada ao procedimento de entubação e conta que recentemente comemoraram a realização de uma traqueostomia feita com a técnica percutânea, procedimento realizado pelo cirurgião torácico Guilherme Dalle Vedove Barbosa. “É um método diferenciado. Não precisa levar o paciente para o Centro Cirúrgico, realizando o procedimento no próprio leito de UTI, reduzindo muito o risco de contaminação”, comenta exaltando o trabalho do colega.

O anestesista conta que o paciente submetido ao procedimento já não tem mais o novo coronavírus e, portanto, foi transferido para a outra UTI. Para o médico, as altas médicas têm sido motivos de comemoração na mesma proporção que perder alguém tem sido triste.

COVID-19

207 profissionais da área de saúde tiveram o vírus

O total de 207 funcionários da saúde já se contaminou com o novo coronavírus, segundo balanço da Secretaria Municipal de Saúde. O dado é referente à última sexta-feira (3), mas não foi divulgado se havia internações. Sabe-se que o novo coronavírus contaminou técnicos de enfermagem, enfermeiras e médicos, entre outros.

Duas profissionais de saúde que trabalhavam em Mogi Guaçu morreram em decorrência da Covid-19, sendo que uma delas residia em Mogi Mirim. Ambas eram técnicas de enfermagem, uma trabalhava na Santa Casa e a outra no Hospital Municipal “Dr. Tabajara Ramos”.

Atualmente, o município soma 18 leitos de UTI no Hospital Municipal, 10 na Santa Casa e sete no Hospital São Francisco. O chamado senso Covid-19 é realizado todos os dias às 8 horas e às 16 horas, identificando o número de ocupação leitos.

Previous post

CEI deve finalizar trabalhos em até 15 dias

Next post

Editorial: O peso de uma decisão