Home»Destaque na Home»Vereadores cobram aumento de cestas básicas

Vereadores cobram aumento de cestas básicas

As sessões foram retomadas nesta semana e os vereadores cobraram reforço das ações da Administração Municipal

0
Shares
Pinterest WhatsApp

O tom da primeira sessão após o primeiro período da quarentena foi de cobrança durante a sessão da Câmara Municipal. A sessão foi realizada na última quarta-feira (22) por conta do feriado de Tiradentes e voltam a ser realizadas às segundas-feiras, sempre às 19h00. As sessões serão realizadas sem a participação do público e todas as medidas de higiene estão sendo tomadas pela Câmara, inclusive com funcionários trabalhando em esquema de rodízio.

A maioria dos vereadores que usou a tribuna da Casa de Leis fez cobranças à Administração Municipal, principalmente com relação as ações de combate ao novo coronavírus. Diversos assuntos foram discutidos, entre eles, a distribuição dos kits de alimentos com os produtos da merenda escolar, a liberação de emendas para a Santa Casa e Hospital Municipal e recursos recebidos pelo Governo do Estado.

O presidente da Câmara, Rodrigo Falsetti (Cidadania), avaliou que o número de kits de alimentos que estão sendo entregues pela Secretaria de Educação é baixo. Para ele, a Prefeitura demorou a agir para a distribuição dos alimentos que estavam estocados para uso da merenda escolar, sendo que alguns municípios já fizeram essa distribuição em março.

Rodrigo também lembrou que a Câmara antecipou o valor de R$ 350 mil para a Prefeitura, em março, para uso exclusivo nas ações de enfrentamento do novo coronavírus. Ele disse que até o momento não recebeu resposta da Prefeitura sobre como o valor foi usado. “Não obtive resposta mais uma vez sobre o que será ou o que foi feito com o dinheiro repassado por essa Casa. Mas deixo aqui uma sugestão: dá para comprar cinco mil cestas básicas com esse valor”, comentou em tribuna ao enfatizar que a presidência da Câmara está disposta a repassar outros R$ 200 mil para ajudar na compra de cestas básicas para as famílias necessitadas. “Posso devolver mais R$ 200 mil para comprar mais cestas básicas e, assim, atingir um maior número de famílias, pois os mil kits anunciados pela Prefeitura não fazem nem cócegas”, declarou.

O vereador Jéferson Luís da Silva (PSDB) cobrou a destinação das carnes que estão no estoque da Secretaria de Educação e que também seriam destinadas para a merenda escolar. “Nós precisamos liberar as carnes que estão no estoque da Secretaria de Educação. Que essas carnes sejam destinadas para a mesa do cidadão”, comentou.

O vereador também cobrou uma ação mais ampla da Prefeitura com relação à distribuição dos alimentos para as famílias carentes, pois, segundo ele, muitas não estão sendo atingidas neste momento por não fazerem parte do Cadastro Único. “Nós precisamos ampliar esse número, pois muitas pessoas não estão cadastradas no Cadastro Único e merecem nesse momento uma ajuda e ela precisa ser atendida”.

A distribuição de cestas básicas pelo município também foi cobrada pelo vereador Natalino Tony Silva (PSDB). Ele pediu rapidez na entrega dos kits que já estão montados e agilidade na compra de outras que possam beneficiar mais famílias.  “Muitas pessoas estão precisando e não estão cadastradas e o mínimo que a Prefeitura pode fazer é ajudar essas famílias. Eles pagam impostos”, ressaltou em tribuna.

O vereador Fábio Aparecido Luduvirge Fileti (PSDB) comentou sobre a visita feita pelos vereadores no almoxarifado da Secretaria de Educação, quando constataram que os alimentos estavam estocados. Ele cobrou agilidade. “A nossa cobrança era para que esses alimentos fossem doados para os alunos da rede, mas, infelizmente, a morosidade do Executivo é demais. Só nesta semana é que a distribuição começou”.

Os vereadores Elias dos Santos, o Pastor Elias (PL), Guilherme de Sousa Campos, o Guilherme da Farmácia (Cidadania), também falaram sobre o tema e pediram empenho da Prefeitura em ajudar as famílias mais carentes.

 

Previous post

UPA: Funcionamento está atrelado a casos

Next post

Kits de alimentos começaram a ser entregues