Home»Cidade»Viadutos: Vice-prefeito cobra início de obras

Viadutos: Vice-prefeito cobra início de obras

Daniel Rossi esteve no DNIT- São Paulo (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes), nesta semana

0
Shares
Pinterest WhatsApp

A construção dos dois viadutos já deveria ter sido iniciada e a demora motivou o vice-prefeito Daniel Rossi a ir ao DNIT- São Paulo (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes), na última segunda-feira (17). Ele se encontrou com o superintendente do DNIT de São Paulo, Roberto Menezes Ravagnani, que assegurou que as obras serão iniciadas o quanto antes. “Fomos cobrar e o Roberto falou que depois do Carnaval irá me ligar para dar uma posição e garantiu que já teria uma solução para nós”, comentou.

Além de Daniel Rossi, o deputado federal Márcio Alvino (PL), o empresário Lenivaldo Aguiar dos Santos, da empresa Preserva Engenharia, vencedora da licitação, Adriano Luciano Rodrigues, presidente do diretório municipal do PL e diretor administrativo da Guarda Civil Municipal, e Paulo Zica também participaram da reunião em São Paulo.

Pelo contrato assinado em julho do ano passado, um dos viadutos irá transpor a linha-férrea ao lado da já existente na Avenida Emília Marchi Martini. O outro será construído próximo à ponte que dá acesso ao Jardim Novo I, na Avenida José Ferreira de Campos. O investimento é de mais de R$ 10 milhões. “Estou, juntamente com o vice-prefeito Daniel Rossi, lutando há mais de quatro anos para que estas obras, muito importantes para o crescimento e a mobilidade urbana de Mogi Guaçu, sejam realidade para a população. Continuarei acompanhando as tratativas para viabilizar este projeto”, reforçou o deputado.

A obra será totalmente custeada pelo Governo Federal sem qualquer contrapartida do município. A construtora Preserva Engenharia, de Cotia (SP), terá o prazo de 14 meses para executar as obras. O contrato prevê a construção de dois viadutos sobre a linha férrea e a recuperação do já existente na Avenida Emília Marchi Martini.

Daniel Rossi disse que o início das obras depende do aval final da VLI/FCA- Valor Logística Integrada (antiga Ferrovia Centro Atlântica), concessionária responsável pela operação e manutenção do trecho da EF-050, a ser transposto pelas futuras obras. “A VLI pediu algumas mudanças ao DNIT que já foram feitas. Lá não tem problema de dinheiro, pois o valor já foi empenhado. São questões técnicas que acabaram atrasando o início das obras, mas tenho certeza que teremos uma boa notícia nos próximos dias”, confirmou o vice-prefeito.

Segundo a assessoria de imprensa do DNIT, o projeto executivo do empreendimento foi enviado para análise e aprovação pela VLI/FCA no início de novembro do ano passado. “Somente após a aprovação e anuência da referida empresa é que as obras em Mogi Guaçu poderão ter início”.

A assessoria de imprensa da VLI confirmou que o processo está em análise. “A VLI informa que o processo está sob análise. A empresa está ciente da importância do mesmo para a cidade e atua para responder e encaminhar para a agência reguladora o quanto antes”.

 

Previous post

LEC desiste e 1ª Divisão fica com 11 times

Next post

Festival de Teatro está com inscrições abertas