Home»Cidade»Ypê Amarelo: Chuva forte tem tirado sono de casal

Ypê Amarelo: Chuva forte tem tirado sono de casal

Tubulação não tem suportado o volume da chuva e a água invadiu pela terceira vez uma das residências

0
Shares
Pinterest WhatsApp

Além dos prejuízos materiais, o casal Sônia Aparecida Andrade do Nascimento e Edson do Nascimento tem perdido noites de sono por medo da casa ser invadida pela água da chuva. O caso mais recente ocorreu no último domingo (12), quando uma forte chuva também caiu sobre o Ypê Amarelo, onde moram.

Mas não foi a primeira vez que o casal precisou contar com a ajuda de vizinhos para não ter os móveis encobertos pela água. Essa foi a terceira vez que um grande voluma de água invadiu a casa localizada na Rua Eduardo Aparecido Casagrande, na quadra 18.  O problema é uma tubulação existente do outro lado da Avenida Georgina Theodoro de Oliveira, via principal do bairro. Essa manilha passa por baixo da linha férrea e não tem suportado o volume da água da chuva. Todo o acúmulo acaba ultrapassando a avenida principal do bairro e entrando na residência do casal.

Segundo eles, o primeiro alagamento foi registrado em abril do ano passado e a Prefeitura foi comunicada sobre o problema. “Foi em abril, depois em dezembro e, agora. A Prefeitura tinha que ter feito um acompanhamento dessa manilha, mas vieram aqui e jogaram restos de cacos de pisos na calçada porque aí embaixo corre uma mina d’água. Mas não resolveram nada”, comentou Edson do Nascimento.

A reportagem verificou no local que todo o trecho da calçada que margeia a linha férrea não tem calçamento e a manilha existente ao lado da residência no número 72 fica no alto do barranco e logo abaixo tem um cano menor azul que desemboca dentro da boca de lobo. O bueiro, por sua vez, está com a tampa quebrada e com lixo, pedras e areia por conta da chuva. Além disso, parte do cascalho de pisos jogado no local já atingiu o bueiro.

Para os moradores, a Prefeitura precisa resolver o problema de escoamento da água da chuva naquele trecho. “Quando mudamos esse barranco estava coberto pela grama e, agora, está nesta situação. Eles precisam vir resolver esse problema aí”, pediu a moradora Sônia.

A moradora contou que a água entra pela cozinha e vai para os quartos e sala. Desta vez, a geladeira ficou cheia de lama e parte do muro precisou ser quebrado para que a água saísse de dentro da residência. “Não temos muito tempo quando a chuva começa forte. Domingo deu tempo de tirar o sapato na sala e já tive que correr na cozinha para tentar jogar pano, lençol e tapetes para evitar que a água entrasse, mas não tem jeito, pois a força da água é grande e entra com lama e tudo”, queixou-se a moradora do Ypê Amarelo.

Os moradores pedem que a Prefeitura tome providências o quanto antes, pois o temor a cada vez que o tempo fecha é grande. “Temos medo de sair de casa, pois e se chover?”, questionou Sônia.

O marido também pediu ajuda, mas não mostrou muito entusiasmo. “Espero que resolva, apesar que não acredito muito”, enfatizou.

Obras

O secretário de Obras e Viação, Salvador Franceli, disse que irá até o local para verificar a situação e definir o que poderá ser feito. Contou que recentemente colocou um dreno no local por conta da mina d’água existente no barranco da Fepasa. “Mas vou até lá para verificar melhor e saber o que está acontecendo”, comentou.

 

 

Previous post

Grupo reclama de estrutura do ginásio do Camacho

Next post

Chagas e Silva ficam em quarto em torneio em Bertioga